O apresentador Carlos Massa, mais conhecido como Ratinho, decidiu se pronunciar através de sua assessoria sobre uma matéria publicada pelo G1, o portal de notícias da TV Globo. A reportagem falava que o apresentador foi condenado por trabalho análogo ao da escravidão. A decisão teria sido dada pelo Tribunal Superior do Trabalho, o TST, e teria sido motivada por trabalhos supostamente irregulares em uma fazenda que seria do apresentador, a Fazenda Esplanada, localizada em Minas Gerais. Ratinho deixa claro no comunicado qual é o verdadeiro papel da mídia e que a acusação nunca foi de impôr seus funcionários para trabalharem em regime de escravidão.

Publicidade
Publicidade

O contratado do SBT deve agora processar o G1 e outros portais que teriam dado a notícia errada. 

De acordo com o portal de notícias da 'TV Bandeirantes', a condenação contra Ratinho, na verdade, acabou sendo motivada pela falta de intervalos na jornada de trabalhos de uma fazenda, mas essa não seria mais do apresentador. Ratinho, no entanto, ainda assim, foi realmente condenado a pagar R$ 200 mil de indenização, mas irá recorrer. 

A nota de Ratinho começa dizendo que ele vem por meio do comunicado negar notícias dadas pelos mais diversos meios de comunicação e que em nenhum momento o processo foi baseado em situações análogas à da escravidão. O primeiro tópico da nota fala justamente sobre isso, que foi uma informação dada por um portal de notícias da Globo. 

Ratinho volta a esclarecer que a ação judicial movida pelo Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais não fala de "escravidão", mas sim sobre o descumprimento de algumas regras no trato do trabalho.

Publicidade

A decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST), segundo o comunicador, também não se refere à essa expressão. De qualquer forma, o staff do jornalista deixa claro que não concorda com a decisão da justiça e em seguida começa a explicar o porquê; 

A nota diz que o contratado da emissora de Silvio Santos não é mais proprietário da fazenda desde 2010, ou seja, há seis anos. Ele ainda lamenta que a notícia tenha sido dada sem a verificação e diz que isso viola o bom jornalismo. Carlos Massa diz que cumpre totalmente as leis brasileiras e que respeita seus empregados, lembrando que teve uma história difícil de vida. Ele termina avisando que tomará medicas cabíveis contra os portais que noticiaram de forma errada a situação.  #Crime #Investigação Criminal