Uma estudante de 19 anos ganhou a atenção do noticiário político após acusar um Senador da República de ameaças de morte.  Maria Aparecida Nery de Melo disse que era amante do Senador Telmário Mota, eleito pelo PDT de Roraima. Após denunciar o suposto companheiro na delegacia, dizendo que ele a agrediu até ela desmaiar, Maria disse que mentiu e mudou tudo. O político chegou teria chegado argumentar que não conhece a jovem e que não teria realizado relações sexuais com ela.

No entanto, em entrevista ao G1, ele confessou o relacionamento amoroso no passado, mas negou as agressões. Uma repórter de uma TV local, no entanto, acabou tendo uma "confissão" de forma inusitada.

Publicidade
Publicidade

Ao chegar à casa da jovem, ela foi recebida pela filha de Maria. A jornalista pergunta onde está a mãe dela. "Ela saiu com o Telmário", deixa claro a criança, que logo em seguida é repreendida pelos familiares. 

No primeiro depoimento de Maria, ela diz que o Congressista que depende a presidente afastada Dilma Rousseff, Partido dos Trabalhadores (PT), teve uma crise de ciúmes após ver ela falando com um dos seus tios. A jovem revelou que Telmário a chutou e deu socos no quarto da residência. A estudante falou também que ninguém ouviu seus pedidos de socorro porque ele tapou sua boca. Ela ainda teria desmaiado e acordado apenas cinco horas depois. 

Veja abaixo o vídeo em que a filha da jovem acaba entregando a própria mãe:

 

Machucados em todo o corpo seriam por queda, diz ela em nova versão

Na época, a jovem passou por exames de corpo de delito, que comprovaram as agressões em diversas partes do corpo.

Publicidade

Maria informou à Polícia que tinha um caso há três anos com o Senador e que ele sempre bateu nela, fazendo também ameaças de morte, caso ela contasse tudo. Na mais recente versão, a mulher diz que caiu no chão após dormir e que por isso ficou toda machucada. Ela confirmou, no entanto, que o Senador estava em sua casa naquele dia. Segundo a jovem, o Congressista esteve em sua residência por ser amigo da família.  #Governo