Nesta quarta-feira, 06, o jornalista Fernando Rodrigues, do UOL, publicou diversos dados que mostram como nos últimos tempos o governo da presidente afastada Dilma Rousseff decidiu se afastar do maior veículo de comunicação do país, o Grupo Globo. Curiosamente, desde que começou a tramitar o processo de impeachment na Câmara dos deputados, o Partido dos Trabalhadores (PT) acusa a #Rede Globo de ser instrumento do que chamam de "golpistas". A emissora, no entanto, apenas exibiu os fatos relativos ao impedimento, dando também amplo espaço para os envolvidos responderem as acusações que não eram feitas por ela, mas por entidades sérias e sólidas no Brasil. 

Os dados publicados no UOL mostram que, na verdade, se um lado foi prejudicado na briga política, esse foi o da TV Globo, que perdeu milhões de reais em verba publicitária que vinha do governo federal.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a reportagem, as cinco principais emissoras do Grupo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, São Paulo e Minas Gerais, receberam no ano de 2015 R$ 396,5 milhões do governo para exibir propagandas dos mais diversos tipos. No ano anterior, em que #Dilma Rousseff disputou sua reeleição e precisa "mostrar trabalho" os números foram em maiores, chegando a R$ 602,8 milhões. A diferença chega a ser chocante, em torno de 35% e chegando a R$ 206,3 milhões, maior até do que o orçamento da maioria das empresas brasileiras.

Não foi só a Rede Globo de Televisão que perdeu a verba publicitária no ano de 2015. Outros veículos de comunicação também foram prejudicados com o fato de não estar havendo uma eleição no país e da crise ter se intensificado, fazendo também o governo poupar grana. Ao todo, de acordo com Fernando Rodrigues, foram cortados R$ 591,5 milhões de toda a mídia brasileira.

Publicidade

Só o corte envolvendo as principais emissoras da Globo representa quase 35% desse total cortado. É bom lembrar que o Grupo Globo ainda possui dezenas de afiliadas pelo país, sites, jornais, rádios, TV a cabo e uma série de meios que o governo também investe.