Turistas, atletas e autoridades públicas não podem reclamar da falta de cuidado com a saúde no Rio de Janeiro. Isso porque uma ala de um hospital público inteira foi destinada para a Olimpíada. O espaço chamado de "área vip" irritou o Ministério Público, já que os pobres cidadãos, que são os que mais precisam da atenção do poder público, não estão a poder utilizar as macas. De acordo com uma reportagem publicada nesta quinta-feira, 28, pela 'Folha de São Paulo', o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro está investigando a situação, que acontece no hospital municipal Michel Couto. A ala foi construída pela prefeitura do Rio, sob a chefia de Eduardo Paes, do PMDB. 

O setor que até agora não foi utilizado tem três quartos, um salão com espaço amplo para cinco macas e pranchas para transportar doentes de feridos.

Publicidade
Publicidade

O espaço é especialmente destinado a quem precisa de emergência, como em um possível atentado terrorista. O espaço bonito surpreende a muitos e difere do que é visto no resto do hospital. Há monitores e desfibriladores para todas as macas. Mesmo construída a quase três meses, a ala jamais foi utilizada. 

O caso foi dado em primeira mão pelo jornal 'O Globo' e tem chocado todo o país. Outros hospitais públicos, como o Souza Aguiar, estão com placas de "Reservado para a Olimpíada" em espaços para tomadas de equipamentos médicos, o que indica que macas e equipamentos podem ser colocados ali a qualquer momento. Pacientes dizem que cirurgias marcadas há meses foram canceladas em cima da hora por conta dos jogos esportivos que acontecem a partir do dia 05 de agosto na cidade. 

Segundo a prefeitura, o Miguel Couto é um dos hospitais referências para os jogos deste ano.

Publicidade

A secretaria diz, no entanto, que o público da cidade também recebe o atendimento adequado. Além da área de emergência, oito consultórios foram construídos. Há até TVs de LCD e acesso a internet wifi na "área vip", que conta também com um excelente ar condicionado, coisa que a maioria dos hospitais particulares não tem, quanto mais os públicos. Até atendentes exclusivos para os estrangeiros foram disponibilizados.  #Rio2016