Além do salário de pouco mais de quase R$ 34 mil (R$ 33.763,00), os deputados federais têm direito a Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP), conhecida como cotão. Os dados são divulgados no site da Câmara e podem ser acessados por qualquer contribuinte.

Fizemos um levantamento levando em consideração os cinco deputados mais votados nas eleições de 2014, o presidente e o ex-presidente da Câmara dos Deputados, o que mais gastou em 2015 e dois personagens que estiveram ou estão em foco na mídia. Confira.

Cinco mais votados

As eleições de 2014 terminaram com Celso Russomano (PRB-SP) como o deputado mais votado, com mais de 1,5 milhão de votos.

Publicidade
Publicidade

Em junho, Russomano gastou pouco mais de R$ 10 mil do Cotão. Combustíveis e lubrificantes (R$ 3.745,11) e bilhete aéreo (R$ 3.543,72) somaram os maiores montantes no gasto total.

Segundo deputado mais votado, Tiririca (PR-SP) gastou pouco mais de R$ 23 mil. Destaque para os R$ 18.022,53 gastos com bilhete aéreo.  Bruno Covas (PSDB-SP), o quinto mais votado, usou pouco mais de R$ 21 mil do cotão em junho. Bilhete aéreo, com R$ 9.307,44, representa o maior gasto.

Jair Bolsonaro (PSC-RJ), terceiro mais votado em 2014, gastou sozinho mais do que os outros citados juntos. Foram mais de R$ 57 mil em junho. Destaque para os R$ 47.476,12 gastos com serviços postais. Em uma só remessa, o deputado usou mais de R$ 12 mil.

Por problemas técnicos, o nome de Marco Feliciano, quarto colocado no ranking de deputados federais mais votados nas eleições de 2014, não aparece na lista.

Publicidade

Jean Willys e Tia Eron

Inimigo midiático de Jair Bolsonaro, Jean Willys (PSOL-RJ) pode se vangloriar por ter gastado bem menos que o seu adversário político. Em junho, Jean  gastou quase R$ 19 mil do cota destinada aos deputados. R$ 10 mil redondos foram gastos com “consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos”.

Tia Eron (PRB-BA), que depois de um “sumiço” deu um dos votos decisivos para a aprovação do parecer que pedia a cassação de Eduardo Cunha, usou pouco mais de R$ 36 mil da CEAP.

Mais de 80% do valor (R$ 29.300,00) foi usado para divulgação da atividade parlamentar, que inclui serviços de produção de notícias e impressão.  

Eduardo Cunha

Com mandamento suspenso desde o dia 5 de maio, o ex-presidente da #Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ). No último mês cheio de mandato, em abril, Cunha gastou R$ 12 mil. R$ 7.859,17 foram usados para “manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar”.

O gasto mensal de Eduardo Cunha em abril é quase parecido com os R$ 11.442,78 que o atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) usou em junho.

Publicidade

Mais da metade desse valor, R$ 6 mil, foram usados para “locação ou fretamento de veículos automotores”.

Campeã em 2015

Shéridan Esterfany Oliveira de Anchieta (PSDB-RR) foi a líder do ranking de uso da Cota para Exercício da Atividade Parlamentar em 2015. A deputada federal de Roraima utilizou nada menos que R$ 503 mil do cotão.

Este ano, Shéridan gastou pouco mais de R$ 38 mil no mês de junho. R$ 15 mil foram usados em uma cobertura fotográfica e edição das imagens para divulgar a atividade da parlamentar.

  #Dentro da política