O capitalismo impera até em muitos movimentos de esquerda. Vejamos o curioso caso que envolve uma invasão de uma fazenda neste sábado,  16, de uma fazenda em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. De acordo com o site 'Diário do Poder'. cerca de mil manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram o local.  Uma fonte ligada ao protesto disse à Blasting News que além de ocuparem a propriedade, que pertence ao governo do estado, os integrantes do grupo que apoia a volta da presidente Dilma Rousseff ao poder querem vender a fazenda. E ainda querem vender para o próprio governo.

O Movimento nega a informação e diz que quem quer vender a propriedade é o governo e que a invasão foi justamente para impedir isso.

Publicidade
Publicidade

A venda, segundo o MST, seria um dos objetivos do governador Geraldo Alckmin, do PSDB. No momento da invasão, estavam no local cerca de vinte e cinco funcionários. Eles moram no local e foram surpreendidos. Os manifestantes alegam que a ocupação foi completamente pacífica. De acordo com o 'Diário do Poder', além dos funcionários que residem no centro de pesquisa, outras quinze pessoas também trabalhariam no local, cuja posse seria da a Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

A propriedade é imponente. Ela tem 270 hectares e faz pesquisas nas mais diversas áreas, mostrando sua importância na área científica. Existe, inclusive, uma parceria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, a USP, com o centro de pesquisa. A Faculdade quer criar um leite fortificado para ser ingerido pelos seres humanos. 

A Polícia Militar teria conversado com o 'Diário do Poder' e disse que existe uma negociação em vigor entre as partes.

Publicidade

O Governo de São Paulo, através de sua assessoria, comentou que vai esperar essa negociação. No entanto, revelou que caso não haja nenhum tipo de acordo, seria tentado uma reintegração de posse do local. Caso isso ocorra, os manifestantes podem ser obrigados a sair à força da propriedade localizada no interior paulista.  #Crime #Investigação Criminal