A Senadora Simone Tebet, eleita pelo PMDB do Mato Grosso do Sul, usou nesta terça-feira, 13, o seu espaço na Tribuna do Senado para comemorar a decisão do seu colega de partido, Romero Jucá. Ele decidiu marcar uma reunião sobre um polêmico projeto de lei para o dia 16 de agosto. O projeto de lei é o PL280. No texto, existem trechos em que fica claro que o seu principal objetivo é punir quem revela as falcatruas de autoridades. O texto é para evitar que políticos e Senadores tenham sua intimidade revelada ou sejam expostos ao ridículo, mesmo quando clara comprovação de realmente cometeram crimes, como o de corrupção. 

Simone Tebet lembrou que não havia a menor necessidade do projeto ser votado com tanta rapidez.

Publicidade
Publicidade

Ela chamou a atitude de intempestiva e disse que o adiamento ajudou a tirar uma sobra que a casa tem. Ela insinuou que muitos de seus colegas, alguns até investigados, estariam querendo se livrar da principal Operação do país, a Lava Jato, que é conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro. 

A Congressista disse que o importante é que agora tudo será debatido e que as entidades interessas seriam ouvidas, para saber o que deveria ou não ser mudado. Ela citou o Poder Judiciário e o Ministério Público, por exemplo. Entidades de juízes já criticaram a medida, assim como colunistas/jornalistas, que tem medo que matérias possam sofrer represálias judiciais. Isso faria por acabar prejudicando a liberdade de imprensa. 

A Congressista deixou claro que não pode ter "nada de carteirada" no Congresso Nacional.

Publicidade

Ela ainda mandou que todos olhassem para o próprio umbigo. Nesse momento, muitos dos Congressistas pareciam constrangidos, afinal, quando é para se beneficiar tudo corre bastante rápido. Simone Tebet ganhou destaque durante o processo da presidente afastada Dilma Rousseff. Na comissão do impedimento do Senado, ela sempre realiza falas elegantes, mas contundentes, pautando-se com grande base do direito constitucional. 

Veja abaixo o discurso da Senadora que conseguiu calar os colegas congressistas:

#Governo