O Brasil e o mundo estão cheios de casos macabros de assassinatos cometidos de forma fria e cruel. Vemos a ação de seriais killers, pessoas que cometem os crimes com certa frequência e seguidamente, tirando a vida de pessoas inocentes, muitas vezes crianças e mulheres, e destruindo suas famílias. Um desses criminosos, que já tirou a vida de muitas pessoas em Pernambuco, e estava foragido da justiça, foi recapturado nesta semana e conduzido novamente à prisão. 

Este homem foi preso pela Polícia nesta quinta-feira (21). O assassino, Roberto Gonçalves da Silva, que é conhecido como Diabo Loiro, matou 15 pessoas na região, inclusive três irmãos da mesma família. 

Segundo informações da Polícia Civil, o serial killer já tinha sido condenado pela morte destas 15 pessoas e pego 159 anos de reclusão.

Publicidade
Publicidade

Após cumprir 10 anos da pena, na Penitenciária Doutor Edvaldo Gomes, em Petrolina/PE, o suspeito recebeu o benefício do semiaberto. Foi quando, em novembro de 2015, ele teria quebrado a tornozeleira que usava para monitorar seus movimentos e aproveitado para fugir.

Somente agora, depois de meses desaparecido, a Polícia conseguiu recapturá-lo no distrito de Nova Descoberta, em Petrolina, depois de receber uma denúncia anônima. Ele foi novamente preso e encaminhado para a Delegacia de Plantão da cidade.

De acordo com a Polícia, o Diabo Loiro afirmou que sentia prazer em matar as pessoas e, por isso, usava uma faca para melhor sentir o sofrimento das vítimas em suas mãos. Um fato muito macabro nesta história é que o assassino tatuava uma cruz em suas costas para cada vítima que fazia. Ele tem um verdadeiro cemitério tatuado no corpo.

Publicidade

Outro caso famoso no Brasil

Outro caso de ação de serial killer no Brasil que ganhou repercussões e foi muito noticiado foi o do vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de Goiânia, em Goiás, que escolhia suas vítimas aleatoriamente e matou 35 pessoas. O rapaz saia de moto e matava suas vítimas com um revólver, sem nenhum motivo aparente, simplesmente pelo prazer de matar. Ele se dizia movido por uma força do mal. O assassino pegou 20 anos de prisão em regime fechado pelos crimes. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia