De acordo com informações da Rádio CBN em transmissão ao vivo na tarde desta sexta-feira, 22, pelo menos dois brasileiros acusados de planejarem atentados terroristas contra as Olimpíadas do Rio de Janeiro estariam não somente foragidos, como também teriam fugido do Brasil. Os supostos criminosos que teriam forte ligação com o Estado Islâmico estariam no Paraguai. Na agenda oficial do Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, há um encontro com um Ministro paraguaio da mesma área, marcada sem nenhuma antecedência. Novamente o governo nega que a ação seja para encontrar os terroristas, mas sim uma negociação para tentar erradicar o tráfico de drogas no país. 

Mesmo o governo anunciando que não há qualquer perigo para os jogos, além das dez prisões de suspeitos de terroristas, mais de uma dezena de criminosos perigosos estão sendo retirados do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Eles serão levados para presídios de segurança máxima. A ação faltando exatamente duas semanas para o início do jogos chamou a atenção. Os dez presos por #Terrorismo também foram levados para um presídio de segurança máxima. Eles ficaram no presídio de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Não há um período para que haja a soltura. Entre os presos, um dos homens tinha um blog que pregava o terror e tentava encontrar adeptos para o grupo terrorista. 

Não se sabe agora o que ocorrerá para que os foragidos sejam encontrados, tampouco como as autoridades descobriram que os suspeitos foram para o Paraguai. Certo mesmo é que eles estão soltos e podem agir a qualquer momento. Essa foi a primeira vez que um brasileiro foi preso em nosso solo acusado de participar de ações terroristas. O Ministro da Justiça fez questão de dizer que o grupo seria desarticulado.

Publicidade

De acordo com a Revista Veja, o governo do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, não teria gostado do discurso e teria chamado a atenção dos chefes das pastas de segurança. 

Agora com os dois homens foragidos essa tensão deve aumentar ainda mais e o discurso pode mudar.