Para a Justiça de São Paulo, Suzane von Richthofen não fez nada de errado ao inventar um endereço, quando deixou a prisão. Condenada a 39 anos de cadeia pela morte dos pais, ela tem direito a saídas temporárias, desde que forneça o local onde irá ficar, mas o Fantástico mostrou que ela estava enganando a justiça, que mesmo assim a perdoou.

A defesa de Suzane von Richthofen entrou com uma tese de que ela em momento algum teria agido de má fé e a juíza da Vara de Execuções Criminais de Taubaté acabou aceitando.

A mentira de Suzane foi em maio, quando ela estava cumprindo pena no regime semiaberto. No "Dia das Mães", ela e várias outras detentas tiveram direito a deixar a prisão.

Publicidade
Publicidade

Nesta ocasião houve vários protestos nas redes sociais e as pessoas criticavam a Justiça por deixá-la sair nesta data, sendo que ela esteve envolvida no assassinato da própria mãe.

Mesmo assim Suzane pode deixar a cadeia, mas acabou sendo detida por ter avisado à Justiça que ela ficaria hospedada na residência de uma amiga na cidade de Angatuba, estado de São Paulo, entretanto ela não encontrava-se nesse local, pois estava com o namorado.

Por ter enganado a Justiça, Suzane von Richthofen foi punida com a perda do direito ao regime semiaberto e sua defesa recorreu imediatamente da decisão. 

A juíza Sueli Zeraik, responsável pelo perdão da detenta, se justificou alegando que o endereço fornecido por Suzane estava desatualizado no cadastro prisional e por isso ela não foi encontrada lá. Agora ela pode continuar se beneficiando do regime semiaberto.

Publicidade

Mas o promotor criminal, Luiz Marcelo Negrini, não concorda com a decisão da juíza e já entrou com um recurso para reverter a situação, alegando que Suzane omitiu o endereço para onde iria e isto é uma falta muito grave, sendo que a punição deve ser o regime fechado, mas como o julgamento deste recurso não tem data marcada, a detenta continua aproveitando o regime semiaberto. Inclusive agora ela pode até voltar a estudar e já até retornou à ala que é exclusiva para progressão penitenciária.

Essa foi uma decisão que acabou, novamente,  gerando muita polêmica e a revolta das pessoas que nas redes sociais criticaram o fato dela mentir para a Justiça e não ser punida. #Famosos #Crime #Casos de polícia