Praticamente todos os grandes portais deram nesta terça-feira, 26, uma notícia sem muita importância. O presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, decidiu buscar o próprio filho, Michelzinho, de sete anos na escola. Como ele é o presidente, toda a agenda dele, inclusive atos íntimos, são informados para a imprensa. Por isso, um batalhão de jornalistas aguardava o peemedebista e sua esposa, Marcela, na porta da Escola das Nações, no Lago Sul, uma das regiões mais nobres de Brasília. O gesto só tem uma única importância para o país, o de certeza que Temer sabe que continuará na presidência. Isso porque até então o filho dele estudava em São Paulo.

Publicidade
Publicidade

No entanto, Michelzinho precisou encarar o primeiro de de aula e teve seu pai, um presidente da república ao seu lado. A família do peemedebista era até então extremamente discreta, mas agora já trabalha com a possibilidade de nomes como o de Marcela ficarem mais palatáveis na boca da imprensa e do povo. Vestida como uma dona de casa, a bela, recatada e do lar Marcela chegou atrás do marido, junto com vários seguranças do Palácio do Planalto.

Mães revoltadas

Na hora da chega do casal, no meio da tarde, uma mãe ficou revoltada. "Vai ser todo dia essa palhaçada?", disse uma mãe. "Vão atrás dos corruptos, ele é só uma criança", gritou outra, antes de ser informada que o próprio Planalto havia convocado os jornalistas. #Michel Temer não quis falar com a imprensa. Ele apenas deu um breve sorriso e fez de sua estadia quase um 'Big Brother Brasil'. 

Novos tempos

Tirando o fator "ego", com notícias como ex-miss bumbum toma sol na praia, a notícia é importante como sinalização de novos tempos.

Publicidade

Isso significa que Temer não tem a menor dúvida de que continuará no poder. A sinalização gerou comemoração na internet. "Graças a Deus Dilma não volta mais", disse um internauta.  O destino de Dilma Rousseff já estaria traçado no Senado Federal. Estimativas indicam que ela terá entre 65 e 70 votos contrários, o que é mais do que suficiente para gerar a deposição. A petista nega e diz ter fôlego para virar o jogo, mas ninguém acredito nisso na prática.  #Governo