Internautas comemoraram nessa semana uma decisão dada pelo #Governo federal, hoje sobre a presidência interina de Michel Temer, do PMDB. O governo anunciou que não pagará ou dará qualquer ajuda financeira para o show de abertura dos jogos olímpicos do Rio de Janeiro, que acontece no próximo dia 05, uma sexta-feira. Com isso, apresentações polêmicas como da cantora Anitta não serão bancadas diretamente com dinheiro público. Falamos diretamente já que a Olimpíada em si teve o apoio de todos os governos, o municipal, estadual e o federal, além da própria iniciativa privada. O cachê da funkeira não foi revelado até o momento pelo Comitê Olímpico Internacional, mas ela não costuma cobrar menos do que R$ 100 mil (mesmo com a crise) para cantar sucessos como 'Show das Poderosas' e 'Bang'. 

Muitos artistas chegaram a sair em defesa à Anitta, como o defensor da permanência da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) no poder, Tico Santa Cruz.

Publicidade
Publicidade

O motivo para o não pagamento desse e de outros shows é a falta de verba. A informação foi dada com destaque pelo jornal 'O Estado de São Paulo'. O Comitê Olímpico Organizador tenta agora ter ajuda em outros itens, como na liberação de energia e de gasolina. O pedido de ajuda ao staff de Michel Temer ocorreu depois que o show para a abertura se "superfaturou", chegando agora a estimativas de quase R$ 300 milhões. A ajuda também foi tentada para o show de encerramento, mas não teve jeito.

Temer continua dando não. A única dúvida é se o governo vai pelo menos dar gasolina de graça para os carros que farão todo o serviço na Olimpíada. Fontes dizem que o peemedebista estaria inclinado a dizer não novamente. Pelo visto, ele não anda tão feliz assim com a Olimpíada. Lembrando que o presidente recentemente já havia dado uma ajuda financeira indireta para o evento, socorrendo o governo do estado do Rio de Janeiro com uma doação de quase três bilhões de reais.

Publicidade

O dinheiro está sendo usado para o pagamento de policiais e outros servidores públicos com salários atrasados.  #Crise-de-governo