O governo brasileiro decidiu tomar uma decisão forte nesta sexta-feira, 15, após o atentado terrorista que atingiu a cidade de Nice, na França. Até o fechamento desta reportagem, por volta de 14h45 no horário de Brasília, já eram confirmadas 84 mortes. Existe a suspeita de que uma mulher brasileira estaria ferida gravemente. Ela foi levada para um hospital da região, disse em reportagem a jornalista Mariana Backer, da TV Globo. 

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, informou que haverá uma revisão nas medidas de seguranças da Olimpíada. Uma reunião de emergência é feita nesta tarde com a presença do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB.

Publicidade
Publicidade

Medidas duras podem ser tomadas. Segundo Raul Jungmann, as mudanças serão para dar mais segurança aos jogos que serão realizados a partir do mês que vem no Rio de Janeiro. Ele confirmou que o atentado a Nice preocupa o governo brasileiro.

Segundo o Ministro, as barreiras de defesa serão ampliadas e revistas. Além disso, a segurança deve ficar ainda mais rígida, evitando assim qualquer surpresa desagradável. Jugmann avisa que isso pode acabar irritando muitas pessoas que vão ver os jogos, mas que o transtorno nesse momento se tornou necessário. A revelação foi feita em entrevista ao vivo dada à Rádio CBN. Ele também conversou em tempo real com a Globo News. 

 Apesar do reforço, o chefe da pasta de segurança do governo Temer reafirmou que o Brasil já estava seguindo todos os protocolos internacionais para um evento como esse, mas que isso agora será ainda mais "arrochado". 

O ministro fez questão de reafirmar que o Brasil está se cobrindo de todas as medidas exigidas pelas autoridades para garantir a segurança da Rio-2016.

Publicidade

Mais de seis mil agentes devem participar da segurança dos jogos. Não foi informado se esse efetivo poderia ser aumentado por conta da possível nova ameaça de terror. Até então, um atentado aos jogos era visto como algo extremamente improvável, mas os ataques constantes à França já fazem as autoridades mudarem um pouco esse discurso.  #Rio2016