O vidente Carlinhos ficou conhecido em todo o Brasil por acertar várias previsões. Ele acertou, por exemplo, quem seria a seleção campeã da Copa do Mundo em 2014. Além disso, naquele mesmo ano, Carlinhos disse que o então candidato à presidência da república, Eduardo Campos (PSB), morreria em um trágico acidente. Como sabemos, o ex-governador de Pernambuco faleceu depois que um avião que o transportava caiu. O acidente até hoje é investigado e originou até uma operação da Polícia Federal, a 'Turbulência'. 

Nesta semana, um áudio vinculado a Carlinhos foi divulgado nas redes sociais. Amigos do paranormal confirmam que é ele mesmo quem fala na publicação.

Publicidade
Publicidade

Tentamos um contato com o espiritualista, mas ele não nos respondeu até o fechamento desta matéria. O espaço continua aberto. No áudio atribuído ao vidente, ele diz que aos que comemoram que o PMDB chegou ao poder, que isso não vai demorar muito tempo. "Pode ter certeza que nas próximas horas terá um processo contra ele", diz o paranormal. Mesmo tendo sido publicado há alguns dias, não há nenhuma evidência de bomba suficientemente polêmica que possa derrubar o presidente em exercício. 

De acordo com Carlinhos, #Michel Temer montará seu governo, ficando alguns meses em exercício, mas que não aguentaria. "Haverá uma renúncia", afirma ele. Apesar de Temer sair do poder, de acordo com o paranormal, essa notícia não seria suficientemente capaz para ajudar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente afastada Dilma Rousseff, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT). 

"Eu fui a única pessoa que acertou que ela não ia ficar até o final", diz o paranormal, que ainda acusa Dilma de ter ganho as últimas Eleições de forma estranha.

Publicidade

Ele lembra que comentou que Aécio Neves, do PSDB, teria sido o vencedor legítimo do pleito. "Michel Temer não ficará até o fim do poder. Ele sim vai renunciar", reafirma Carlinhos provocando enorme polêmica. 

Ouça o áudio em que o vidente dá explicações sobre porque Michel Temer não conseguiria ficar até o fim do poder:

#É Manchete!