No início dessa semana, um caso que aconteceu na Unicamp, em São Paulo, repercutiu em todo o país. O desentendimento entre alunos grevistas e um professor que perdeu a paciência ganhou todo o brasil. Alunos do comando de greve tentam impedir que o docente trabalhe e começa então uma discussão em frente ao Instituto de física da unidade. Os estudantes acusam o professor de não respeitar o direito deles e chegam a gritar com ele. O homem, já revoltado, começa a gritar também e diz que o que está havendo na universidade é um movimento de tirania. Começa uma forte discussão e já não é possível ver o que acontece depois nas imagens. 

Os alunos dizem que o professor teria agredido eles.

Publicidade
Publicidade

O docente nega, diz que tirou uma das garotas da sua frente porque ela ameaçava a sua passagem. Ele registrou um registro de ocorrência na Polícia e conversará com a Universidade sobre a situação que gerou tudo isso. Em entrevista à TV Globo, com lágrimas nos olhos, o professor identificado como Ernesto Kemp, revela que a perda de paciência não foi por conta de quinze minutos de discussão, mas por meses de agressividade. "Eu tenho 38 alunos e fiz uma enquete para saber quem queria ou não ter a prova. Dos 38, apenas 3 concordavam com a greve", disse ele. 

Vídeos polêmicos em semana movimentada da greve

No vídeo abaixo um aluno de forma bastante grosseira impede o professor da área de exatas de dar sua aula. Esse docente, mostrando uma paciência impressionante, continuar a dar sua aula como se nada estivesse acontecendo.

Publicidade

O estudante grevista, ainda assim, parecendo não ter vergonha pela sua atitude apaga novamente o quadro. A atitude foi muito criticada e viralizou nas redes sociais. Só no Youtube um dos vídeos que mostra a atitude na Unicamp tem mais de 40 mil visualizações. 

Veja abaixo o vídeo do momento em que o professor fica revoltado por não poder dar mais sua aula. Ele explica na reportagem feita pela TV Globo que a maioria dos alunos quer estudar, mas que é constantemente impedido de trabalhar pelos anos que querem fazer greve:

#Crime #Investigação Criminal