Um homem ainda permanece no sétimo anda da Unijorge, uma universidade localizada na Bahia. Até o fechamento desta reportagem, às 15h, ele fazia ameaças de explodir o prédio. Testemunhas garantem que ao chegar em uma das salas de aula, onde seria realizado o exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o homem abriu a camisa e disse que tinha uma bomba. Ele também teria mostrado uma arma com supostas armas. Um vídeo publicado na tarde deste domingo, 24, pelo site Varela Notícias, mostra a correria de estudantes. Eles aparecem desesperados após o anúncio do suposto homem-bomba.

É importante declarar que apenas policiais mais tarde poderão dizer se o que o homem carrega é ou não uma bomba e qual seria sua capacidade de explosão.

Publicidade
Publicidade

Uma das testemunhas disse que o homem tentava passar pela décima primeira vez no exame da Ordem, mas que não teria conseguido. Informações desencontradas sobre o caso chegaram a vincular o homem ao Estado Islâmico, mas essa notícia ainda não pode ser confirmada.  Muitas pessoas saíram correndo da universidade. O G1 diz que pessoas ficaram feridas. A Polícia confirma que foi chamada para conter um homem que estaria em surto psicótico. Imagens publicadas na internet mostram o pânico dos estudantes de direito que sonhavam com a carteirinha da OAB. 

“Disseram que ele entrou na sala, e disse que faz a prova há 11 anos e nunca passou. Ele abriu a camisa e está cheio de armas", relatou uma testemunha ao site Varela Notícias. "Todos se jogaram no chão, deitados. Todo mundo morrendo de medo”, explicou outra.

Publicidade

Muitas pessoas estariam chorando. 

A Universidade ainda não confirma que o suposto aluno estaria mesmo com uma bomba. A notícia rapidamente teve grande repercussão na internet, especialmente agora em que faltam poucos dias para começarem os jogos olímpicos. Lembrando que recentemente o governo brasileiro disse que não havia qualquer perigo de #Terrorismo no Brasil, mesmo após a prisão de onze suspeitos de pertencerem ao Estado Islâmico. 

Veja o vídeo abaixo com a correria dos universitários na Bahia:

#Crime