A Mendigata do Programa Pânico na Band, Fernanda Lacerda, teve vídeo íntimo divulgado na internet, além de fotos em que está só de calcinha. As primeiras imagens foram divulgadas na quinta-feira (21) e o vídeo se tornou viral no WhatsApp. Também nesta semana, o ator Marcello Melo Jr. teve nudes divulgado na internet.

Segundo a assessoria da participante do Pânico, as imagens estavam em um celular da moça, que foi roubado. O criminoso chegou a chantageá-la e fazer ameaças de que divulgaria o vídeo caso ela não desse dinheiro a ele. Ainda de acordo com o comunicado, Fernanda está triste e desesperada coma exposição que teve.

Publicidade
Publicidade

As imagens dela nua teriam sido feitas e enviadas para um namorado da modelo. “Uma intimidade dela que não estão respeitando”,diz o comunicado.

Para se pronunciar sobre o ocorrido, Fernanda Lacerda usou a sua conta no Instagram e confirmou o que tinha acontecido. Ela contou que quando foi assaltada, além de alguns objetos pessoais, o seu celular também foi levado.

Ela lamenta ter que passar pela exposição, além de todo o susto com a violência sofrida. Fernanda ressaltou que o que fizeram com ela foi um #Crime quem compartilha as imagens está apoiando isso. O caso está sendo investigado e foi enquadrado na Lei Carolina Dieckmann, criada depois que a atriz passou por situação semelhante e teve fotos íntimas divulgadas. Além das duas, Caio Castro, Murilo Rosa, Stênio Garcia foram alguns dos famosos que já tiveram a intimidade divulgada em redes sociais.

Publicidade

Segundo o jornal Extra, Fernanda Lacera prestou queixa na quarta-feira (20) durante a noite, na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática do Rio.

Internautas comentam o vídeo vazado da Mendigata

No Twitter, os internautas comentam ocaso. “Não bastava o vídeo do Brisola, agora brotou o vídeo da Mendigata virou moda mesmo...;”, escreveu um deles, se referindo ao fato de MB Brisola ter tido vídeo íntimo divulgado no meso dia.

 “Tudo o que eu queria no momento era um corpo igual o da Mendigata”, escreveu outra. #Investigação Criminal #Casos de polícia