A musicista Eliza Schinner provocou enorme polêmica nas redes sociais após publicar um vídeo em que mostra ela sendo sendo expulsa de um carro disponibilizado pelo aplicativo do Uber. O aplicativo se tornou uma verdadeira febre e é alvo de várias polêmicas, especialmente com taxistas. Nas redes sociais, a jovem aforma que o motorista desistiu da corrida e a deixou durante a madrugada em um rua deserta do Rio Cumprido, na Zona Norte do Rio de Janeiro. A confusão, segundo os posts de Eliza, aconteceu porque o motorista do Uber estaria ouvindo música muito alta. Ela diz que pediu para que ele abaixasse o volume, mas não foi atendida. 

O homem então disse que não mudaria de rádio porque a música era para o "Rei", fazendo uma citação a Jesus Cristo.

Publicidade
Publicidade

A passageira ainda brincou dizendo que seria para o Roberto Carlos e ele não gostou. Após a insistência, a moça revelou que seria "satanista" e que não era obrigada a ouvir música para Deus. Nesse momento, o condutor do carro teria perdido completamente o controle. O vídeo que mostra a expulsão tem mais de vinte mil exibições só no Facebook. 

O homem que a expulsou disse que não aceitaria que nenhuma pessoa em seu carro falasse o nome do coisa ruim e a deixou às duas da manhã em uma rua do Rio Cumprido. Em vários posts, a passageira critica os evangélicos por não aceitarem outras formas de pensamento. Ela pediu providências ao Uber e foi rapidamente atendida. 

Veja abaixo o vídeo com o momento em que ocorreu a confusão no Rio de Janeiro:

"A gerente de marketing do Uber me ligou. Eu já esperava por isto", diz a passageira que passou  por momentos de humilhação.

Publicidade

"Assim como já levei um tapa na cara de um taxista homofóbico, desta vez fui expulsa de um Uber por um motorista ditador religioso. Gente ignorante, intolerante e doida existe em qualquer lugar, e à frente de qualquer volante", explicou ela durante sua publicação. A empresa informou que comportamentos como esse não são esperados ou aceitos e que todas as providências serão tomadas.  #Crime #Investigação Criminal