No último mês, a atriz Luiza Brunet ganhou a atenção da imprensa ao acusar o ex-companheiro, o bilionário Lírio Parisotto, de tê-la agredido de forma violenta. A partir daí, os dois começaram a fazer acusações um contra o outro e o caso passou a ter semelhança até com uma novela. Neste sábado, 23, no  entanto, uma revelação esclarecedora pode mudar completamente o caso. Depois do empresário negar veementemente que tenha agredido a atriz que está no ar em 'Velho Chico' e chegou a dizer que ela é quem teria agredido ela. 

Os advogados chegaram a insinuar que Luiza Brunet estaria inventando tudo por conta de uma possível indenização com o caso.

Publicidade
Publicidade

Especialistas calculam que ela possa receber até R$ 100 milhões de danos morais. Uma das alegações da defesa  é uma foto postada até pela profissional da dramaturgia. A imagem foi publicada no Instagram de Luiza. Ela exibe Brunet completamente sentada e com óculos transparentes. A foto que indica que a atriz estaria aparentemente bem seria, segundo os advogados de Lirio, uma indicação de que ela teria mentido sobre o caso. A atriz nega e diz que passou maquiagem. Por isso, seu olho não estaria roxo das supostas pancadas sofridas pelo ex-companheiro. 

Para tentar provar que realmente apanhou, Luiza publicou uma imagem com o olho machucado. Além de roxo, o olho da atriz parece formar pus. Apesar disso, ela gravou as cenas normalmente na novela das nove da TV Globo. A revelação da vez foi confirmada através da coluna radar, da Revista Veja.

Publicidade

Depois de fazer uma queixa contra o caso, e exibir uma imagem com um olho machucado, a atriz se recolheu nas últimas semanas, preferindo o silêncio. Isso não quer dizer que ela não tenha cartas na manga. 

De acordo com o advogado de Brunet, Pedro Egberto da Fonseca Neto, a atriz teria guardado alguns trunfos para implodir de vez as dúvidas sobre se ela teria apanhado ou não. O principal seria um vídeo em que Lírio apareceria chutando a ex-companheira. O vídeo exibiria ele dando pontapés na ex-mulher. E agora? #Crime #Investigação Criminal