O Rio de Janeiro continua caótico. O jeitinho brasileiro parece mais acentuado na cidade que recebe daqui a poucos dias os jogos olímpicos. A festa começa no dia 05, mas festa para quem? O suposto clima otimista gera de revolta a atos inconsequentes. O Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), por exemplo, amanheceu completamente pichado. Nos aeroportos da cidade, as filas eram longas. Tudo porque a segurança foi alternada até mesmo em voos domésticos. A confusão era tão grande que irritou não só os clientes que pagam para viajar, como também os funcionários do aeroporto. Muita gente precisou remarcar a viagem ou ficar no prejuízo, perdendo compromissos importantes de trabalho. 

Um dos inspetores de segurança da Rio 2016, segundo o jornal O Globo, também perdeu a paciência com tanta confusão.

Publicidade
Publicidade

Ele decidiu desabafar após o cansaço das revistas nos famosos Raio-X, que não davam conta do grande número de usuários, que na verdade, não era maior ou menor do que o normal. "Odeio essa Olimpíada. Nem começou ainda, mas já estou torcendo para acabar", disse ele, não temendo qualquer tipo de represália. A ANAC, que até então dizia que o ideal era chegar no aeroporto com pelo menos uma hora de antecedência, aumentou esse tempo para uma hora e meia depois da mudança.

Com tanta confusão, a agência já fala em duas horas antes. Quem pega a ponte aérea todos os dias não gostou. A saída do aeroporto também ficou devagar, o que tornou viagens inviáveis para muitas pessoas devido à demora. Teve gente que já avisou que vai voltar a usar o ônibus no eixo Rio-São Paulo. 

Não tão distante de um dos aeroportos, turistas viam o VLT pichado.

Publicidade

Ele estava estacionado na região portuária, quando foi alvo de represálias. Uma das frases de protesto estampada no Veículo Leve Sobre Trilho era:  “Transporte de luxo, hospitais de lixo”, diz uma pichação". 

Recentemente, também nos aeroportos, policiais e bombeiros fizeram protesto por conta de salários atrasados. Com uma faixa em inglês eles diziam "bem-vindo ao inferno".  #Rio2016