Os crimes aconteceram em épocas diferentes na área rural de Linha do Encantilado, em Cruz Machado, no Paraná. Camile Loures das Chagas de apenas treze anos, desapareceu em dezembro do ano passado, e sua amiga Solange Roseli Vitek de dezessete anos em abril desse ano. A Polícia Civil do Paraná que investigava o caso desde o ano passado começou a desconfiar de um rapaz de dezessete anos depois que a amiga de Camile sumiu no começo deste ano. Apenas nesta terça-feira (23), é que o caso foi concluído depois que o suspeito foi apreendido e confessou ter matado as duas jovens. De acordo com o delegado Douglas Carlos que investiga o caso, há mais de seis meses, as suspeitas começaram desde o desaparecimento da primeira moça em dezembro.

Publicidade
Publicidade

A polícia chegou a pensar que as adolescentes pudessem ter sido sequestradas e levadas para trabalharem em locais de prostituição, em São Paulo ou no Rio de Janeiro.

A história ficou mais clara depois que um agricultor que mora na região encontrou, em oito de junho, a ossada de Solange. Logo depois no início de agosto, os restos mortais de Camile foram achados nas proximidades onde estava enterrada a outra jovem. Foi quando a Polícia Civil resolveu retomar as investigações e decidiu ouvir mais uma vez os envolvidos no sumiço das meninas. Um rapaz, de 17 anos, que também é agricultor da região, se pronunciou de maneira divergente das declarações anteriores. Segundo a polícia ele teve várias contradições na fala, não sabendo exatamente as ações que fez nos dias do ocorrido.

Publicidade

Pressionado pela polícia, ele acabou confessando ter cometido os assassinatos. Segundo o acusado ele já planejava matar Camile, uma vez que ela o esnobava e o humilhava diante de amigos. Segundo o rapaz, ele gostava muito da jovem que não correspondia aos seus sentimentos. O segundo #Crime que aconteceu quatro meses depois do primeiro, teria sido motivado porque a amiga da moça começou a suspeitar dele.  

A Polícia Civil do Paraná diz que o suspeito não tinha passagens pela polícia e que levava uma vida tranquila até cometer os assassinatos. O jovem confessou ter matado as duas meninas asfixiadas e depois enterrado ambas em regiões muito próximas, negou ter abusado delas sexualmente. Ele está detido, e agora fica à disposição da Justiça até que o caso seja totalmente investigado. #Investigação Criminal