O Comitê Olímpico Internacional está desesperado com estádios completamente vazios. A imprensa da Inglaterra já chama a situação de grande "fiasco". Diversas estratégias começaram a ser adotadas, mas nem tem adiantado. A primeira foi dar os bilhetes para voluntários, especialmente para as sessões menos concorridas. Muitos também não se interessaram em trabalhar de graça e depois ainda acompanhar as competições. A segunda medida foi oferecer ingressos gratuitamente para escolas públicas da região. Também não foi suficiente. O jeito agora visto pelo Comitê é vender ingressos na hora e dentro do parque olímpico. 

É o que informa uma reportagem publicada nesta quarta-feira, 10, pelo site da ESPN.

Publicidade
Publicidade

Dentro do parque olímpico, os chamados ingressos "reciclados" são vendidos a R$ 16. O valor chega a ser vinte vezes menor do que para quem comprou antecipadamente internet. Isso tem gerado muitas reclamações nas redes sociais, já que os consumidores acabam se sentindo lesados. Jogos de basquete da seleção da casa estão vazios. E olha que o Comitê tem vendido por esse preço os melhores lugares das partidas. Crianças pagam ainda menos. Tanto esforço fez com que pelo menos na televisão os estádios não aparecessem tão vazios. Isso porque a ideia é que o público fique mais aglomerado para o lado que é mostrado na transmissão da televisão. 

É bom lembrar que a maior parte das competições acontecem em áreas consideradas longe do povão. O parque olímpico maior desses jogos, por exemplo, está localizado na Barra da Tijuca, espaço considerado bastante longe do Centro do Rio e da periferia.

Publicidade

No entanto, a cidade conta hoje com um sistema de transporte melhor. O que pode ter afastado o público foi a enorme burocracia para entrar nos locais de competição. Alguns esportes tem suas primeiras partidas antes das 9h, o que é cedo para os cariocas. O problema é que as filas para entrar, mesmo em estádios vazios, chegaram a incríveis duas horas. Ou seja, para ver um jogo de 9h só se você chegasse antes das 7h, o que é praticamente impossível na região.  #Rio2016