A Olimpíada do Rio de Janeiro parece que virou um ótimo motivo para criticar todos os problemas que existem no Brasil. Nesta segunda-feira, 01, a questão do mosquito da Dengue e do Zika Vírus foi exposta para todo o mundo. De acordo com informações do jornal carioca 'O Globo', a equipe chinesa está preocupada e bem preparada contra o vírus que causa mal-estar e pode provocar até microcefalia em bebês que estão sendo gerados nas barrigas de suas respectivas mães. Fotos de esportistas da ginástica do país que briga pelo segundo lugar geral no quadro de medalhas utilizando telas contra mosquitos ganharam as redes sociais. 

As imagens foram repercutidas depois que a goleira americana Hope Solo tirou uma foto com um arsenal contra o Aedes.

Publicidade
Publicidade

As atletas chinesas usam os mosquiteiros para dormir. O acessório é utilizado de forma surpreendente. Cada uma das atletas ganhou a própria tela individual. Além do objeto, elas usam também repelente em plena Vila Olímpica. Dessa forma, fica difícil para o mosquito conseguir qualquer malfeito contra elas. A modalidade das chinesas com os mosquiteiros será realizada entre os dias 07 e 16 desse mês. A ginástica é um dos esportes que atrai mais público nos jogos e que os brasileiros gostam bastante. Na Olimpíada passada, o Brasil foi ouro nas argolas. 

Yilin Fan, Yi Mao, Chunsong Shang, Jiaxin Tan e Yan Wang estão entre as atletas que ganharam a proteção especial. O governo americano também fez campanha forte contra a Zika. Uma dupla de tenistas medalhista desistiu de disputar os jogos pelos Estados Unidos justamente com medo de que a doença do mosquito pudesse ser transmitida para suas respectivas família.

Publicidade

Só dos Estados Unidos foram devolvidos cerca de vinte mil ingressos, que foram colocados novamente à venda pelo Comitê Olímpico Internacional.

Os americanos tiveram cuidado até em dizer aos turistas que viriam ao Brasil que evitassem fazer sexo com brasileiros, já que a Zika também poderia ser contraída através das relações íntimas. Que coisa, não? #Rio2016