O cachorro espancado pela própria dona na cidade de Cachoeiro de Itapemerim, localizada no interior do Espírito Santo, na última semana, está se recuperando dos ferimentos. Contudo, de acordo com os veterinários que cuidam do animal, ele pode ficar cego se não for devidamente tratado ao longo do tempo. A história do animal revoltou muitos internautas e representantes de associações protetoras que pediram prisão da tutora do cãozinho.

De acordo com o site do jornal Folha de S. Paulo, o cão ganhou um novo nome: Ambrósio. Sua "guarda" foi retirada da antiga dona, flagrada dando uma surra de "tirar sangue" do bicho, alegando que ele havia mordido uma criança.

Publicidade
Publicidade

Contudo, a informação ainda não foi confirmada e o animal foi retirado mesmo assim.

Na ocasião, ela chegou a ter que ser levada para a delegacia local, mas não ficou detida. O delegado responsável pelo caso disse que o #Crime cometido pela idosa era de "baixo potencial ofensivo", o que não acarreta prisão. A notícia deixou as pessoas que acompanharam o caso ainda mais revoltadas. Pelo Facebook, alguns usuários disseram que o cão precisa ter um tratamento justo também.

"É um absurdo. Se ser humano já não tem justiça, imagina cachorrinhos... Não me surpreendo", escreveu uma internauta.

Situação clínica

Segundo os veterinários da clínica particular que acolheu o animal, o edema que estava na cabeça diminuiu, o cachorro está comendo e continua ativo e feliz, apesar do sofrimento que passou.

Publicidade

Contudo, continua com cortes na cabeça.

"As taxas do hemograma não estão legais", informou o veterinário Marcos Eugênio Lesqueves.

Ainda ontem, dia 4 de agosto, membros da Assembleia Legislativa do Estado afirmaram que querem ouvir a idosa a respeito de maus tratos ao animal em uma CPI.

O depoimento da ex-tutora de Ambrósio ocorrerá no próximo dia 19 de agosto, na Câmara de Cachoeiro. Apesar de estar internado em uma clínica particular, quem mantém a guarda do bicho é o Centro de Controle e Zoonoses da cidade.

Fernando da Costa Ghio, presidente da ONG Patas de Rua, informou que muitas pessoas estão interessadas em adotar o animal, que ficou famoso após o vídeo que viralizou. #Animais #Internet