A Polícia do Estado de Minas Gerais está fazendo um excelente trabalho e já prendeu quatro suspeitos de participar da morte da jovem Greiciara Bello Vieira. Entre os presos, estão a que seria a mandante do #CrimeShirley de Oliveira Benfica, de 30 anos; Lucas Mateus Silva, de 22; conhecida como Mirella, a enfermeira Jacira Santos de Oliveira, de 60 anos e Jhonatan Martins Ribeiro de Lima, de 24.

O advogado de Shirley se pronunciou à imprensa afirmando que sua cliente não tinha conhecimentos dos planos dos autores, mas que realmente combinou com Mirella, a "encomenda" de uma criança, preferencialmente do sexo feminino, mas alega que a mesma não tem participação com a morte da Greiciara e subtração do seu bebê.

Publicidade
Publicidade

Segundo o advogado de Sheila, o bebê que Mirella conseguiria para Shirley, era uma criança que a mãe estava disposta a doar. Porém, em 5 de agosto, um bebê foi raptado no bairro de Ipanema, na cidade de Uberlândia e, de acordo com as investigações, esse rapto teria sido encomendado por Shirley, o que pode complicar ainda mais a sua tentativa de defesa.

A travesti Mirella é da cidade de Ituiutaba e foi a primeira a ser presa. Informações levaram à sua busca e, consequentemente, prisão dos outros envolvidos, mas a polícia ainda não descarta a hipótese de outras pessoas estarem ligadas ao crime. Mirella teria topado participar do crime em troca de um celular avaliado em R$ 3,000,00 e de um aplique de cabelo loiro e longo.

A jovem Greiciara estava muito animada com a gestação; o quarto do bebê estava montado e ela contava os dias para ter a filha no braço.

Publicidade

A jovem escrevia versos em um diário em homenagem para criança, a quem daria o nome de Alicia Mariany. A mãe de Greiciara, apesar da morte da filha, ficou emocionada em poder carregar a neta em seus braços e realizar o sonho que Greiciara foi impedida de realizar. Embora nada vá trazer de volta sua filha, para a avó, será uma honra e privilégio cuidar dessa neta que foi tão desejada pela filha morta.

A morte e os requintes de crueldade envolvidos na morte de Greiciara e subtração do seu bebê, lembram o crime que aconteceu na cidade de Ponte Nova; também localizada em Minas Gerais; em julho de 2015. Na ocasião Gilmária Silva Patrocínio, de 33 anos matou a gestante Patrícia Xavier da Silva, de 21 anos, para roubar sua filha. #Investigação Criminal #Casos de polícia