A roleta-russa popularizada e "espetacularizada" pelas arenas de rodeios do País geraram mais uma morte. No último sábado (20), quem buscou entretenimento em mais uma noite de rodeio na cidade de Juara, em Mato Grosso, saiu da ‘festa’ com o estômago enjoado. O público viu ao vivo e a cores o peão Webert Cordeiro, conhecido como Curica, morrer após perder a briga para um touro em que tentava montar.

Como pode ser visto no vídeo, o profissional é pisoteado pelo animal após não conseguir se manter em cima dele. Ele cai e na sequência recebe vários golpes do touro, que pesa aproximadamente 800 kg. O peão ainda tenta se levantar e caminhar de forma vacilante, mas cai desacordado e é rapidamente amparado por outros profissionais, próximo à cerca que divide o público e a arena.

Publicidade
Publicidade

Neste momento, o locutor sente que a situação é grave, mas o show não pode parar’. E enquanto o peão inconsciente recebe assistência médica, o narrador destaca efusivamente a brutalidade do touro e como o peão teve problemas com a aterrizagem antes da queda. Na sequência, o locutor chama os patrocinadores do evento, afinal, é preciso manter a indústria country tupiniquim em movimento.

Webert Cordeiro, o Curica, tinha 30 anos, foi levado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. A vítima era da cidade Água Boa, a 736 km de Cuiabá.

Segundo informação da Federação Mato-grossense de Rodeio, Curica foi pisoteado pelo animal no peito.

O debate sobre as mortes em rodeios é antigo e mais uma vez acaba gerando algumas interrogações. A pergunta que fica é: qual a necessidade de manter eventos como esse, com alto risco e periculosidade e de morte aos seus participantes?

Há quem defenda a permanência dos circuitos de rodeio porquê eles fazem parte das raízes de nossa cultura caipira.

Publicidade

Mas as estatísticas fatais, no entanto, continuam a impressionar. Em maio, há apenas três meses, um salva-vidas foi pisoteado por outro touro ao ajudar um caubói que havia caído na arena.

O caso também aconteceu em Mato Grosso, só que na cidade de Sorriso. Após ter a cabeça atingida pelo animal, o profissional não resistiu e também morreu.

#Crime #Casos de polícia