“Vou dizer uma obviedade: não sou eterno. Antes, coitadinho de mim, eu achava que minha vida duraria para sempre”, disse, em certa ocasião, um dos maiores cirurgiões plásticos do mundo, o brasileiro de Minas Gerais, mas que fixou residência na Cidade do Rio de Janeiro, Ivo Pitanguy. Acontece que, em 6 de agosto, em torno das 17h30 com 90 anos de idade, o ilustre médico cirurgião plástico veio a óbito, devido a uma parada cardíaca, conforme informações veiculadas por sua assessoria de imprensa. A vida de Ivo Pitanguy chega ao fim, mas não o imenso legado de conhecimento e benefícios que produziu por meio de seu trabalho, convívio social e ensinamentos para outros profissionais de #Medicina mundo afora. 

Ficaram sem o convívio de Ivo, a viúva Marilu, bem como os quatro filhos do casal e mais cinco netos.

Publicidade
Publicidade

O curioso é que, na manhã do dia anterior à sua morte, Pitanguy, mesmo estando em uma cadeira de rodas, teve a satisfação de conduzir a tocha olímpica pelas ruas do bairro Botafogo, na zona sul carioca,. O cirurgião tinha estado, recentemente, internado no #Hospital Samaritano do Rio de Janeiro, para dar prosseguimento ao tratamento de uma infecção provocada pelo que parecia ser uma simples troca de um cateter.

 

No domingo, dia 07 de agosto, deverá acontecer o velório do corpo do médico, no Memorial do Carmo, zona portuária do Rio de Janeiro, onde por volta das 13h está prevista a cerimônia com a cremação do corpo de Pitanguy. 

Cirurgião pástico, professor e escritor de sucesso 

Foi em Minas Gerais, no dia 05 de julho de 1926, que nasceu o menino que receberia o nome de batismo de Ivo Hélcio Jardim de Campos Pitanguy.

Publicidade

Depois que se formou na UFMG - Universidade Federal de Minas Gerais - e na FNM - Faculdade Nacional de Medicina - que, atualmente, faz parte da UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Ivo Pitanguy deu início a sua formação e especialização na área da cirurgia plástica por volta do fim da década de 40, tendo atuado, naquela época, como cirurgião residente no Bethesda Hospital, localizado no estado de Cincinatti, nos EUA, mais especificamente, no conhecido Serviço do Professor John Longacre. 

A sua expertise era tão grande como cirurgião plástico que o doutor em medicina acabou sendo o patrono da SBCP - Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e também fez parte como uma espécie de membro honorário da AISAPS - American Society of Plastic Surgery (Sociedade Americana de Cirurgia Plástica. 

Pitanguy sempre demonstrou sede pelo saber, e foi um ilustre professor e escritor, tendo participado da Academia Nacional de Medicina e da Academia Brasileira de Letras, ficando reservado ao ‘imortal’ a cadeira de n.º 22 desde o ano de 1990. 

A sua biografia intitulada de "Aprendiz do Tempo" que foi lançada em 2007, narra inúmeros fatos e histórias sobre a vida do mineiro Ivo Pitanguy, como, por exemplo, o início de sua profissão como médico e os motivos pelos quais, acabou indo estudar fora do Brasil, que foram basicamente o desejo e a necessidade de aprender o que não era ensinado internamente no país. 

Pode parecer estranho, mas como dizia o famoso cirurgião plástico, “na realidade eu me tolero.

Publicidade

Quando o indivíduo vai se tolerando, vai se deixando, e talvez essa seja a melhor cirurgia". De qualquer modo, mesmo que ele não tenha sofrido nenhuma cirurgia plástica, o que pode ser dito é: descanse em paz Ivo Hélcio Jardim de Campos Pitanguy ou somente Ivo Pitanguy. #Estudar no exterior