A crueldade do ser humano não tem limites mesmo. Um caso chocante aconteceu no estado do Piauí neste final de semana. Uma criança de apenas um ano e três meses foi vítima de violência sexual.

A cidade do norte piauiense chamada Pedro II foi o cenário de um #Crime extremamente bárbaro e cruel cometido contra um bebê inocente. A menina foi localizada na manhã deste domingo (7), em um matagal próximo à residência da avó e apresentava sinais de violência sexual.

Segundo informações dos policiais, a bebê havia ficado na casa da avó, pois a mãe tinha saído para uma festa. A criança estava dormindo quando foi levada durante a madrugada.

Publicidade
Publicidade

A tia da menina teria acordado às 2h da manhã e viu que sua sobrinha não se encontrava na cama.

A genitália da menina estava totalmente dilacerada e foi encaminhada ao hospital, onde precisou passar por um procedimento cirúrgico para reconstruir a vagina. Segundo informação da médica que fez o procedimento, a menina está passando bem.

Além do estupro, a bebê foi agredida e tinha hematomas próximos da boca, olhos e no pescoço. A equipe que atendeu a criança disse que houve a tentativa de cometer estupro anal.

O caso está sendo investigado pela polícia civil, no entanto ainda não foi encontrado nenhum suspeito. Para a delegada responsável pelas investigações, Camila Miranda, é possível que haja mais de uma pessoa envolvida no crime e que toda informação está sendo verificada.

Os familiares da menina e testemunhas foram ouvidos pela polícia nesta segunda-feira (08).

Publicidade

No local foi encontrado um plástico com vestígios de sangue que foi levado para análise.

Crime bárbaro

A repercussão do crime sexual contra a criança de um ano e três meses chocou todos os familiares da menina e a cidade de Pedro II está abalada. A notícia do desaparecimento da bebê, na manhã do domingo, se alastrou pelo município e várias pessoas se reuniram para ajudar nas buscas e foi quando conseguiram localizá-la. Ela foi encontrada sem as vestimentas e com hematomas pelo corpo.

A criança continua hospitalizada e seu estado de saúde é estável. Os médicos informaram que ela não corre risco de morrer. #Investigação Criminal