O crime aconteceu na manhã de segunda-feira (15), no loteamento Novo Horizonte, Bairro Floresta, em Rio Branco. O policial fazia parte de um grupo de militares que realizavam uma abordagem em uma casa suspeita de ser local de tráfico e beneficiamento de drogas. O cabo Alexandre Aparecido dos Santos foi atingido no pescoço depois que um dos três suspeitos reagiu à investida da polícia. Junto dele estavam outros dois policiais, que socorreram o colega. O principal suspeito de ter efetuado o disparo é Kennedy Magalhães, que foi preso junto com seu comparsa identificado como Jhonatan Clarc. O policial foi levado ao Hospital de Urgência de Rio Branco, mas não resistiu ao ferimento e morreu na ambulância a caminho do local.

Publicidade
Publicidade

O jovem foi ouvido e nega ter sido o autor do disparo. Alega não ter tomado a arma do outro policial presente e atirado. Segundo o mesmo, o fato aconteceu devido à confusão criada pelos policiais durante a abordagem. Kennedy foi enfático em dizer que foi tudo um acidente. Para se juntar à declaração, está sendo divulgado um vídeo nas redes sociais que mostra o momento exato em que o disparo acontece. Veja:

No vídeo é possível ver a abordagem e o momento que o acusado tenta escapar, depois só se vê um tumulto, se escuta o disparo e o policial já aparece caído, a arma é imediatamente colocada perto do corpo.

O advogado de defesa de Kennedy falou a imprensa que irá pedir exame pericial para que os fatos sejam realmente apurados. Segundo ele, provavelmente não serão achados vestígios de pólvora na mão do jovem, porque o suposto #Crime teria acontecido acidentalmente no meio da confusão.

Publicidade

O delegado que investiga o caso, ao contrário do advogado, foi enfático em dizer que o responsável pelo disparo teria sido realmente o jovem, e que o mesmo já teria confirmado a versão, mas que depois mudou as suas declarações. 

O pai de Kennedy, José Carlos Magalhães, muito consternado, saiu em defesa do filho e disse que ele não teria sido capaz de atirar, uma vez que no momento do disparo estava sendo imobilizado por três policiais. Segundo ele, a arma seria do policial que estava despreparado para abordar o jovem e o disparo por isso teria sido acidental. A defesa ainda alega que Kennedy e seus colegas estariam sofrendo retaliações da polícia há muito tempo e que a abordagem teria acontecido de maneira totalmente agressiva. As investigações ainda dirão se o jovem foi mesmo o responsável pelo crime. #Investigação Criminal