O Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR) terá, nestes dias, a presença de um "hóspede ilustre": trata-se do quadro "Abaporu", da pintora modernista brasileira Tarsila do Amaral, um dos maiores ícones do Modernismo brasileiro nascido, em 1922.

A exposição ganhou o nome de "A Cor do Brasil" e contará com outras obras de arte que representam momentos da nossa história como Hélio Oiticica, Di Cavalcanti, entre outros. 

Pertencente ao Malba (Museu de Arte Latino-americana de Buenos Aires), Argentina, a obra não é exposta no Brasil, desde 2011 e a última vez que esteve no Rio de Janeiro foi em 1995, segundo informações do site da ##Rio2016.

Publicidade
Publicidade

"Abaporu" ficará exposto até o dia 30 de agosto. Já a exposição terminará só em janeiro do ano que vem.

Para Marcelo Campos, um dos curadores da exposição, as Olimpíadas tiveram um papel importante na vinda do quadro. Ele destacou a oportunidade que turistas do mundo inteiro terão de entrarem em contato com obras como esta: "vários países passarão pelo Rio e terão a oportunidade de ver uma obra icônica, de ver que temos uma linguagem própria no mundo da arte. É um momento especial, é a valorização da nossa história", informa o site dos Jogos Olímpicos.

Representação Artística

Criado em 1928, "Abaporu" é um dos mais autênticos representantes do movimento modernista brasileiro. Na língua indígena, o nome significa "homem que come carne humana".

O Brasil pode ter de volta, se quiser

Em entrevista à IstoÉ, o colecionador argentino Eduardo Constantini - fundador do museu que hoje é dono do quadro - disse que o Brasil poderia ter de volta o "Abaporu", se quisesse.

Publicidade

Ele citou que, para isso acontecer, era preciso apenas que uma filial do Malba fosse aberta no Brasil.

Como visitar

O MAR fica na Praça Mauá, no Centro da capital carioca e é aberto de terça a domingo, entre 10h e 17h. Para a exposição "A Cor do Brasil", os ingressos custam apenas R$ 10, com meia (R$ 5) para estudantes, pessoas com até 21 anos de idade, universitários, pessoas com deficiência e servidores públicos da capital carioca. 

A exposição inicia hoje (02) e termina em 15 de janeiro de 2017. #Rio Cultura