O entrevistado de Roberto Cabrini no programa “Conexão Repórter”, do SBT, neste domingo, foi o traficante Luiz Fernando da Costa, 49, conhecido popularmente como “#fernandinho beira-mar”.

A conversa, exibida neste domingo, foi gravada na Penitenciária Federal de Porto Velho, em Rondônia, neste mês de agosto. Durante a entrevista, “Beira-Mar” falou sobre seu gosto pela leitura e o livro que está escrevendo.

Leitura

Fernadinho “Beira-Mar” declarou-se deísta – crê que há uma mente inteligente que criou todas as coisas – e assumiu ser fã de Jesus Cristo. “Sou muito fã de Jesus Cristo, leio bastante a Bíblia”, afirmou o traficante.

Publicidade
Publicidade

Nos 15 anos que já acumula nas diversas prisões pelas quais passou, “Beira-Mar” afirma gosta muito de ler. Além da Bíblia, ele disse gostar de biografias, sem especificar quais.

O traficante fica 22 horas por dia dentro de uma cela com 6m². As outras duas horas do dia são usadas para o banho de sol.

Histórias

Na entrevista em que declarou que respeita muito mais o policial honesto do que o corrupto e que afirmou não chegar nem aos pés de Pablo Escobar, traficante colombiano das décadas de 1980 e 1990, Fernadinho “Beira-Mar” também disse frases que poderiam ser incluídas em um livro de autoajuda.

“Se você vai fazer alguma coisa, procure fazer o melhor”, afirmou o traficante, ao ser questionado por Cabrini sobre a sua mania de perfeição.

Livro

Fernandinho “Beira-Mar” está escrevendo um livro que, segundo ele mesmo, está quase pronto, em que vai falar sua vida e sobre casos nacionais que ele afirma saber o que aconteceu.

Publicidade

“O título do livro será ‘Fernandinho Beira-Mar: somos criminosos?’”, contou em primeira mão a Roberto Cabrini. “Lá eu vou falar sobre a morte do Tim Lopes e o assalto ao Banco Central, vistos do lado de cá”, disse.

O jornalista Tim Lopes, repórter investigativo da Rede Globo, foi assassinado por traficantes no dia 2 de junho de 2002, aos 51 anos, quando fazia matéria sobre um baile funk da Vila Cruzeiro, subúrbio do Rio de Janeiro.

A morte teria acontecido a mando de Elias “Maluco”, membro da facção “Comando Vermelho”, que teria sido liderada por muitos anos por Fernadinho “Beira-Mar”.

O Banco Central, em Fortaleza, foi assaltado em 2005 e até hoje alguns dos envolvidos no maior roubo a banco da história do país não foram presos.

Caso Celso Daniel

Perguntado se no livro falaria algo sobre o assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, em janeiro de 2002, “Beira-Mar” saiu pela tangente, mas aproveitou para fazer propaganda de sua autobiografia. “Compra o livro que você vai saber”, disse. #beira-mar livro