A #Igreja Universal está sendo acusada de manter um esquema ilegal fora do Brasil que vinha sendo utilizado para movimentar milhões de dólares e isto já acontece há pelo menos 7 anos. A denúncia ganha ainda mais força por ter sido feita por um ex-bispo da própria igreja. De acordo com este ex-bispo, toda esta fortuna vinha sendo utilizada principalmente para bancar as despesas tanto da Universal como também da Rede Record, lá na Europa.

O ex-bispo da Universal, Alfredo Paulo Filho, hoje com 49 anos, foi um dos responsáveis pela instituição entre os anos de 2002 a 2009 lá em Portugal. Alfredo também foi um dos primeiros na lista de auxiliares do próprio Edir Macedo, que foi o fundador da igreja.

Publicidade
Publicidade

Trabalhando diretamente com Edir Macedo por mais de uma década, o ex-bispo passou a ser um homem de confiança e ter a acesso a várias informações, que poucos dentro da Universal tinham conhecimento.

O ex-bispo também já atuou aqui no Brasil, passando pela coordenação da Universal em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e também no Rio Grande do Sul. Alfredo contou que para fugir da fiscalização, a igreja teria criado uma rota onde o dinheiro ilegal seguia duas vezes por ano, da África diretamente para a Europa. Toda a fortuna arrecadada vinha das movimentações providenciadas pela Universal em Angola, onde era realizada a conhecida "Fogueira Santa". Em cada viagem, mais de US$ 5 milhões eram despachados.

Quando questionado sobre como poderia dizer tudo isto com tanta convicção, o ex-bispo revelou que já esteve envolvido no esquema, tanto é que ele sabe como os milhões de dólares eram enviados à Europa: um jato particular da Universal era utilizado no transporte da fortuna e carros eram usados para transportar o dinheiro de Angola até chegar à África do Sul.

Publicidade

Como este trabalhando para a instituição por muito tempo em Portugal, Alfredo também revela detalhes da operação por lá e conta que estes dólares eram trocados por euros e logo em seguida eram depositados no banco BCP, sendo que a justificativa dada era de que este dinheiro vinha de dízimos recebidos pela igreja. Depois do dinheiro já na conta, eram feitas as transferências para vários países da Europa.

A Igreja Universal do Reino de Deus, a respeito de todas as acusações, informou que vai processar o ex-bispo. #Crime #Corrupção