No início da noite do último domingo (07), a profissional de comunicação, Patrícia Lélis 22 anos, compareceu até a Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), em Brasília para fazer uma nova denúncia contra o deputado federal #Marco Feliciano (PSC-SP). De acordo com a versão da jornalista, ela afirma ser vítima de tentativa de estupro, agressão e cárcere privado entre outros.

Outro boletim de ocorrência já havia sido registrado há cerca de quatro dias. Na ocasião, ela havia denunciado Talma Bauer, um dos assessores do parlamentar, o qual teria sido acusado de mantê-la sobre cárcere privado e forçá-la a divulgar um vídeo negando todas as acusações.

Publicidade
Publicidade

Na última sexta-feira (05), a Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva de Bauer baseando-se na denúncia. Após passar algumas horas detidos, o réu foi liberado logo em seguida e cumprirá o processo em liberdade.

Na manhã desta terça-feira (09), a subprocuradora geral da União, Deborah Duprat, deverá ouvir o depoimento da vítima em relação a um outro caso ocorrido em 15 de junho, dentro do apartamento do deputado. Marco Feliciano por sua vez, já havia manifestado sua defesa há cerca de dois dias como uma postagem em vídeo por meio das redes sociais. Na divulgação do vídeo, o parlamentar aparece ao lado da família e afirma ser vítima de uma armação para tentar desmoralizá-lo perante seus eleitores. Ele ainda acusa Patricia de comunicar falso #Crime.

Embora seja uma militante do PSC, a vítima também acusa o partido de demonstrar-se favorável ao deputado.

Publicidade

Através de uma nota divulgada em sua página no Facebook, ela afirma que o partido sempre esteve ciente do abuso sexual, mas lhe pediram para que ficasse em silêncio para não prejudicar a imagem do parlamentar. Em nota, o deputado federal Gilberto Nascimento, atual presidente do diretório estadual do PSC em São Paulo, informou que irá instaurar uma comissão para averiguar melhor o ocorrido.

Nas prévias realizadas no final de julho, o PSC, havia lançado o nome de Marco Feliciano para disputar o cargo de prefeito em São Paulo. Mas com o recente escândalo, Feliciano foi aconselhado a desistir da candidatura. Com isso o partido vai apoiar o nome de Celso Russomano do PRB. De acordo com a última pesquisa do jornal Datafolha, Russomano lidera as intenções de voto para prefeito na capital paulista. O PSC por sua vez, pretende montar uma coligação forte com o PRB, afim de eleger alguns vereadores, pois até o momento a sigla não possui nenhum representante na Câmara de Vereadores em São Paulo. #Política