Em uma conversa entre investigadores da Operação #Lava Jato e alguns executivos da Odebrecht, cujo propósito era levantar e recolher informações sobre pagamentos de propinas a políticos, os executivos da empreiteira fizeram uma declaração que "enreda" e bastante o político do PSDB de São Paulo, #José Serra.

De acordo com os executivos, Serra recebeu, em 2010, R$ 23 milhões, destinados à sua campanha política à Presidência da República, e pagos, via caixa dois.

Em uma matéria veiculada pela Folha de São Paulo, consta esse valor foi corrigido, considerando-se a inflação do período, e equivale atualmente a R$ 34,5 milhões.

Os milhões de Serra e como foram feitos os pagamentos

Os executivos da empreiteira relataram também como foram feitos os pagamentos: parte foi entregue no Brasil e outra parte foi paga por depósitos bancários, em contas em bancos estrangeiros.

Publicidade
Publicidade

Os executivos da Odebrecht ainda não assinaram acordo de delação com c força-tarefa da Lava Jato, no entanto, há  ainformação de que a empreiteira apresentará extratos bancários dos depósitos feitoas em contas no exterior, que eram destinados à campanha presidencial de Serra. Além disso, os executivos explicarão também os apelidos pelos quais José Serra era tratado: "Vizinho" e "Careca".

Valor apontado pelo TSE é infinitamente menor

O tribunal Superior Eleitoral (TSE) afirma que registrado como doação para o Comitê Financeiro Nacional para Presidente da República de Serra, o valor de R$ 2,4 milhões (em valores corrigidos R$ 3,6 milhões), ou seja, o político recebeu "por fora" a bagatela de R$ 23 milhões.

Mas ainda há mais. Os funcionários da Odebrecht têm mais informações sobre propinas pagas a José Serra.

Publicidade

Agora, referente ao período em que foi governador de São Paulo, entre os anos de 2007 e 2010. Os executivos revelaram que as propinas era referentes à construção do trecho sul do Rodoanel Mário Covas e qyue era pagas a intermediários do atual Ministro das Relações Exteriores.

A defesa de Serra

A assessoria de José Serra divulgou uma nota na qual é argumentado que as finanças durante a sua disputa presidencial eram de responsabilidade do PSDB e que ninguém foi autorizado a falar em seu nome. Sobre a acusação de proprina por conta da contrução do Rodoanel, Serra considera "absurda a acusação". #Polícia Federal