É mais um crime de estupro que choca o Brasil, mas, desta vez, a crueldade realmente impressiona, pois o jovem de 17 anos estuprou uma menina de somente 1 ano de idade. O suspeito foi apreendido nesta última terça-feira (09) e logo precisou ser transferido, porque a população da cidade de Pedro II, localizada no interior do estado do Piauí, invadiu a delegacia e queria linchar o estuprador.

O jovem, em seu depoimento, contou todos os detalhes do estupro cometido. Ele é vizinho da avó do bebê, que estava dormindo quando foi sequestrado. Na presença de um promotor, o garoto confessou o crime e revelou como agiu para violentar a menina.

Publicidade
Publicidade

Além do promotor, também estava presente o Conselho Tutelar e a mãe do adolescente.

Para o delegado responsável pelas investigações, não há mais dúvidas de que o jovem tenha agido sozinho. Ele contou em detalhes como realizou o crime, desde o momento que saiu de casa e foi estuprar o bebê até o momento em que retornou à sua residência. Depois de violentar o bebê, o criminoso deixou a criança próxima a um matagal, mas na rua, para que pudesse ser encontrada. Ao voltar para casa ele tomou um banhou e agiu como se nada tivesse acontecido.

A #Violência foi tão grande contra a criança que ela até precisou passar por uma cirurgia onde foi feita a reconstrução vaginal e ainda terá que ser submetida a vários outros exames para que possa ser acompanhada pelos médicos. O bebê continua internado e, apesar de seu quadro ser estável, requer atenção especial.

Publicidade

A mãe do adolescente, no intuito de inocentar o filho, mentiu quando foi dar o seu depoimento, só que, por diversas vezes, ela acabou caindo em contradição. Após o jovem assumir o crime, ela então deixou de lado a versão que tinha inventado.

O adolescente precisou ser transferido urgentemente, antes que a população chegasse à delegacia. Como o jovem estuprou a criança no quintal da casa de sua mãe, a polícia teme que a população possa ir até lá para realizar alguns protestos e até tentarem destruir a residência. #Estupro #Casos de polícia