Rafaela Silva. Esse é um dos nomes mais repetidos pela imprensa brasileira nos últimos dias. A judoca foi a primeira a receber uma medalha na Olimpíada de 2016 do Rio de Janeiro. Moradora da 'Cidade de Deus', Rafaela sofreu com o preconceito após ser eliminada por um golpe considerado ilegal nos jogos de Londres, realizados em 2012, na Inglaterra. Nas redes sociais, ela foi chamada de "macaca" e recebeu outros insultos, que insinuavam que ela teria tentado buscar o golpe errado a todo custo. Silva então entrou em uma depressão profunda e pensou em desistir do esporte. Ela então recebeu uma ligação do jogador de futebol Neymar, que a incentivou a continuar.

Publicidade
Publicidade

O atleta lembrou que infelizmente a sociedade era atrasada e que o melhor que ela poderia fazer era calara boca de todos com vitórias. 

Mas não foi só o camisa 10 da seleção brasileira de futebol que ajudou a judoca a superar o entrave, mas principalmente o amor. Rafaela conheceu outra menina no Instituto Reação, criado pelo ex-judoca e hoje comentarista da TV Globo Flávio Canto. Até hoje, ela treina no espaço. Por lá, conheceu uma promessa, que ao longo dos anos desistiu do esporte, mas não de Rafaela. O nome da felizarda é Thamara Cezar. Depois de um golpe ou outro na vida, as duas decidiram se unir e hoje são namoradas. Hoje não, há um tempo razoável. No dia 27 desse mês, elas comemoram três anos juntas. 

Rafaela agora não faz questão de esconder o relacionamento por medo do preconceito.

Publicidade

Pelo contrário, depois de inevitavelmente sofrer racismo, agora ela luta para que todo o mundo saiba que a medalhista de ouro brasileira namora uma mulher. A moça que namorada o único ouro do Brasil até agora disse em entrevista ao jornal Extra publicada nesta quarta-feira, 10, que prefere ver as lutas afastada da família, sozinha. Elas ainda não se viram depois da vitória de Rafaela, mas depois da luta ela ligou para sua companheira desejando sorte e dizendo que ela era fod*. O afastamento é para ajudar na concentração da atleta, que ainda teria mais disputas.  #judô #Rio2016