Uma reviravolta aconteceu no caso dos nadadores dos Estados Unidos, que vieram para as Olimpíadas 2016 e disseram que foram assaltados no Rio de Janeiro. De acordo com o G1, a Polícia Civil informou que além de eles não terem sido assaltados, ainda se envolveram em confusão e danificaram uma porta, em um posto de gasolina.

A informação foi publicada pelo G1 nesta quinta-feira (18) e o problema aconteceu na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Depois de ouvir os seguranças do local, a hipótese de assalto acabou descartada.

Os seguranças do posto contaram que o táxi parou lá, com os nadadores, para que eles pudessem ir ao banheiro.

Publicidade
Publicidade

Os quatro teriam danificado a porta, ao usarem o banheiro, e não queriam pagar pelo prejuízo.

Os funcionários do posto chamaram a polícia, mas a viatura começou a demorar e os quatro atletas teriam começado a ficar agressivos, de acordo com os relatos. Eles foram tentar sair do local e um segurança, para impedir, apontou a arma. Foi então que eles não saíram do posto e fizeram um acordo para que o prejuízo fosse pago. 

Nadadores foram tirados de dentro do avião ao tentarem ir para os EUA

Gunnar Bentz e Jack Conger  estavam no grupo dos quatro atletas que divulgaram que tinham sido assaltados. Eles tentavam embarcar para os Estados Unidos, quando a polícia os tirou já de dentro do avião, na última quarta-feira.

Segundo o advogado Sérgio Riera, que defende os dois, os nadadores estão “muito assustados”.

Publicidade

Os dois atletas não tinham prestado depoimento e estavam no grupo que disse que foram assaltados no Rio. Apenas Ryan Lochte e James Feigen tinham se pronunciado.

Feigen ainda está no Rio, mas o hotel em que está hospedado não foi revelado. Loche deixou o país no dia 15. Gunnar Bentz e Jack Conger foram levados para a delegacia e liberados nesta madrugada. Antes de eles tentarem ir para os #EUA, a Justiça tinha mandado apreender o passaporte dos dois, pois queria que eles prestassem depoimento antes de sair do Brasil.

Como tudo começou

Lochte deu uma entrevista e falou que os quatro nadadores foram assaltados. Segundo o relato, eles estavam em um táxi e outro carro os parou para realizar o assalto. Disse ainda que eles tinham mostrado distintivos e feito os atletas deitarem no chão. Embora os bandidos tivessem levado o dinheiro, deixaram o celular, o que causou estranheza.

Depois disso, um vídeo dos atletas chegando na Vila Olímpica, muito bem e descontraídos, com pertences em mãos, foi divulgado.

Além disso, a versão de Lochte mudou depois que ele saiu do Brasil. Em uma nova entrevista o nadador contou que foram ao banheiro e ao saírem tiveram uma arma apontada para eles. #Crime #Rio2016