O fenômeno mundial, "#Pokémon Go", não para de criar histórias surpreendentes ao redor do mundo. Porém, algumas dessas histórias estão repletas de tristeza e dor para várias famílias. Nesta segunda-feira, 8 de agosto, uma tragédia no Rio Grande do Sul relacionada ao jogo, terminou com a morte de uma criança. A vítima, um menino de 9 anos, identificado como Arthur Bobsin, acabou morrendo afogado dentro do rio Tramandaí, na cidade de Imbé, região norte do Rio Grande do Sul.

Um amigo que acompanhava Arthur contou à Brigada Militar do estado que os dois utilizaram um barco de fibra para entrar no rio Tramandaí, a fim de caçar Pokémons com o celular.

Publicidade
Publicidade

O barco, utilizado por pescadores locais, foi retirado pelos garotos de um terreno baldio próximo a casa de um deles. Ainda na margem do rio, o barco virou com os dois meninos, um deles conseguiu se salvar, mas Arthur afundou e desapareceu.

O acidente aconteceu por volta das 15h, e ainda durante a tarde, as buscas pelo menino começaram. Pouco depois dos bombeiros suspenderem as buscas, no início da noite, o corpo de Arthur foi encontrado por funcionários da Transpetro que ajudavam na tentativa de encontrar o garoto. As investigações da morte do menino de 9 anos será conduzida pela Polícia Civil da cidade de Imbé.

O jogo, que utiliza o GPS para encontrar bichinhos virtuais ao longo de cidade, elevou o valor das ações da Nintendo e tornou-se mais utilizado que o Twitter e o Tinder, menos de um mês após o seu lançamento na América do Norte, no dia 5 de Julho.

Publicidade

No Brasil, o game foi lançado no dia 3 de agosto, e já rendeu muitas histórias. Antes da tragédia no Rio Grande do Sul, um publicitário de São Paulo já havia sido assaltado na Avenida Paulista, enquanto utilizava o aplicativo, ele tinha comprado o celular roubado, duas horas antes.

Nos Estados Unidos, um jovem bateu em uma viatura da Polícia enquanto caçava Pokémons pela cidade. Em Cingapura, um homem acabou sendo demitido após criticar o país por não ter disponibilizado o jogo. Histórias como essas se repetem em todos os países onde o jogo já está disponível.