O ministro da Educação de Portugal, Tiago Brandão Rodrigues, acabou conhecendo o pior lado do Brasil e do Rio de Janeiro. De acordo com informações do jornal 'O Globo' em reportagem publicada neste domingo, 07, o representante do #Governo português foi assaltado quando andava na Lagoa Rodrigo de Freitas na noite deste sábado, 06. No momento do assalto, de acordo com a publicação, Tiago Brandão estava na altura da Avenida Epitácio Pessoa. Ele já tinha tomado algumas medidas de segurança para fazer o percurso, como por exemplo, andar acompanhado. No momento do #Crime, ele estava com uma mulher, que seria sua assessora de imprensa.

O Ministro veio para a abertura da Olimpíada do Rio de Janeiro e para estreitar os laços entre o seu país e o Brasil.

Publicidade
Publicidade

Ao andar por um dos principais pontos turísticos da cidade, no entanto, ele foi abordado por dois criminosos. O atentato ocorreu por meio de facas utilizadas. Os dois (o Ministro e a assessora) foram obrigados a entregar tudo o que tinham. Foram dados aos ladrões todo o dinheiro e celulares que carregavam no momento da ação. Um dos bandidos, no entanto, acabou não tendo tanta sorte. Cariocas, já acostumados com a criminalidade alta da cidade, decidiram agir e salvaram o turista político português. 

Eles imobilizaram o homem até que profissionais de segurança aparecessem. Policiais militares da Operação Lagoa Presente acabaram prendendo o criminoso. De acordo com o 'Jornal O Globo', o criminoso foi identificado como Márcio Luiz Brandão "Tiemen". Ele teria vindo da comunidade Pavão-Pavãozinho para realizar a ação criminosa na Lagoa Rodrigo de Freitas. 

O homem ainda acabou sofrendo linchamento de populares.

Publicidade

Por isso, antes de ser levado para uma delegacia, o bandido teve que dar uma passadinha em um hospital. A unidade escolhida pela PM foi o Hospital municipal Miguel Couto, na Gávea. Após os cuidados dos ferimentos feitos pelos populares, o homem foi levado para a Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat). Ele ainda teria tentado subornar a PM com R$ 5 mil.