Será o final dos tempos? O que esperar de uma mulher que encomenda a morte do seu filho, uma criança de apenas sete anos e o pagamento pelo #Crime, foi uma noite de sexo com o algoz do garoto.

De acordo com o portal de notícias G1, Alexandra Moura da Silva, de 26 anos, teve prisão temporária decretada e está foragida desde o último dia 16 de agosto deste ano. Saibam mais aqui.

A mulher queria o filho morto porque ele sabia demais

Carlos Henrique Moura, de 7 anos, foi encontrado morto dentro de um córrego, três dias depois ter desaparecido, em janeiro de 2015. Desde o início das investigações a polícia não descartava a hipótese da criança ter sido assassinada, já que a profundidade do córrego não condizia com o afogamento do garoto.

Publicidade
Publicidade

A delegada titular, Maria Tereza, da Delegacia de Homicídios de Camaçari (DH/RMS), afirmou que Alexandra encomendou a morte do filho, porque ele sabia que ela traficava drogas e que a mulher iria participar de um assalto a banco. Com receio de Carlos contar para sua avó paterna que o criava, Alexandra premeditou o crime.

Uma noite de sexo, foi quanto custou a vida do garoto

A policia prendeu no dia 8 de agosto deste ano, José Nilton Pereira da Silva, suposto amante da mãe de Alexandra, que confessou o crime, ele afirmou que a mãe do garoto foi a mandante e que o pagamento pelo assassinato foi uma noite de sexo.

As investigações apontam que Alexandra usava o filho para transportar drogas.

Mulher desmaiou diversas vezes durante o enterro do filho

No dia 7 de janeiro de 2015, a família de Carlos Henrique Moura, procurou a polícia para denunciar o desaparecimento do garoto.

Publicidade

De acordo com os familiares, o menino desapareceu da frente da casa de sua avó paterna, no bairro Nova Vitória, enquanto brincava com outras crianças.

Infelizmente, três dias depois do desaparecimento ele foi encontrado morto, aparentemente afogado em um córrego da região. Já no início da #Investigação Criminal, a Polícia Civil desconfiava da mãe e do padrasto do garoto.

Durante o velório e o sepultamento do garoto no dia 11 de janeiro de 2015, a mãe chegou simular vários desmaios e foi amparada por parentes e pelo padrasto que estavam presentes no local.

Se alguém tiver alguma informação sobre o paradeiro de Alexandra Moura da Silva, que está na foto acima e na galeria de imagens, entre em contato de forma anônima com a polícia através do disque denúncia 181. #Casos de polícia