Uma ocorrência macabra foi registrada na capital do estado da Paraíba, João Pessoa, nordeste brasileiro, na tarde desta última segunda-feira (22), quando policiais militares abordaram um casal que estava em uma carroça de tração animal.

Desde a manhã do último domingo (21), um menor, identificado apenas como sendo; “Bereu”, estava desaparecido. Os familiares do garoto registraram o sumiço na Delegacia de Polícia Civil, na segunda-feira, 24 horas após o fato.

Desde então, as autoridades policiais realizaram as buscas e o praxe investigativo. Diligências ocorreram em diversas localidades da capital paraibana, no entanto, até à tarde da segunda-feira, sem êxito, momento em que, em continuidade as buscas, os policiais abordaram um casal no bairro Mandacaru.

Publicidade
Publicidade

Em uma breve averiguação constatou-se de que na carroça em que o casal seguia destino havia um corpo. Deixando a situação ainda mais macabra, a cabeça do cadáver havia sido decepada, o que caracterizou um possível homicídio bárbaro.

De imediato, os dois receberam voz de prisão e foram conduzidos para uma Unidade de Polícia Solidária (UPS) o, onde foram ouvidos. Identificado apenas como sendo, Willian, o homem justificou que estava fazendo um favor para um amigo, o qual ele não soube informar o nome.

Motivação para tamanha crueldade, e quem está, de fato, envolvido no homicídio ainda se tratam de um mistério para as autoridades policiais da Paraíba. No entanto, o casal deve permanecer à disposição da Justiça, e as investigações devem continuar.

Crimes bárbaros

Crimes com requintes de crueldade contra crianças e adolescentes é uma problemática enfrentada pelas autoridades policiais da Paraíba que vem tendo um aumento nas estatísticas nos últimos dias.

Publicidade

Na última sexta-feira, uma mulher foi presa acusada de matar o próprio filho de apenas cinco anos de idade com mais de 50 golpes de faca peixeira. Ela ainda teria decepado o órgão genital do menino.

O assassinato ocorreu em Campina Grande, a 112km da capital estadual. A motivação para tamanha crueldade é ainda desconhecida, haja vista que a mulher apresentou problemas psicóticos.

O tornando outro #Crime “macabro”, após ser detida pela Polícia, a mulher disse ser a “princesinha de satanás”, entre outras frases satânicas. A barbárie repercutiu em todo o país. #paraiba #Casos de polícia