Nesta segunda-feira, dia 29 de agosto, os brasileiros acordaram com uma imagem que irá marcar a História do Brasil. A presidente afastada, Dilma Rouseff (PT), apresentou, em rede nacional e para todo o Senado Federal, a sua defesa em relação ao processo de #Impeachment, aberto em maio de 2016 e que a afastou por 180 dias. O julgamento da governante segue na Casa Legislativa e deve ter sua conclusão nas próximas horas. Dilma, em sua fala, disse novamente que não cometeu nenhum crime, não roubou os brasileiros e que é inocente das acusações que lhe foram computadas. A presidente também disse que o governo interino que quer se instalar no país não é legítimo, como afirmou em outras vezes na campanha contra-impeachment.

Publicidade
Publicidade

O discurso aconteceu por volta das 10h15 da manhã, quando Dilma começou a fala, relatando o sofrimento que passou durante a luta contra a Ditadura Militar.

"No passado com armas, e hoje com suposta democracia, tentam tirar o Estado de Direito", disse.

Dilma reforçou que vê no processo um "golpe" contra o Estado brasileiro e que muitos não enxergam isso.

A presidente voltou a lembrar aos brasileiros que o mesmo procedimento para a abertura de créditos suplementares que fere a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) foi feito por outros presidentes e governadores, inclusive aqueles que votaram contra ela nas Casas legislativas, e estes não foram afastados de seus cargos. Dilma reforçou inúmeras vezes que é inocente.

"Não cometi nenhum crime", afirmou.

A primeira mulher presidente do Brasil, companheira de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), também fez referências históricas, como se referindo a Getúlio Vargas, ex-presidente morto que suicidou-se.

Publicidade

JK e Jango também estiveram na fala de Dilma.

A presidente também lembrou da campanha para que ela ficasse, que movimentou o país e seus apoiadores.

"Senhoras e senhores senadores, nestes meses me perguntaram inúmeras vezes por que eu não renunciava. Jamais o faria porque nunca renuncio à luta. Confesso que a traição, a violência verbal e o preconceito me assombraram. Em muitos momentos até me magoaram. Mas sempre foram superadas por meio de seminários, mobilizações, shows e pela internet. Me cobriram de flores e me protegeram com a sua solidariedade. Os brasileiros expressaram esse combate pela democracia e pelo Direito sua força e resiliência", agradeceu. #Dilma Rousseff #Política