O #Padre Bonifácio Buzzi, de 57 anos, que foi preso na última sexta-feira (05), na cidade de Barra Velha, em Santa Catarina, a 35 quilômetros de Joinville, acusado de abusar sexualmente de duas crianças em Três Corações/ MG, foi encontrado morto na manhã deste domingo (07), em uma cela do presídio da cidade mineira. O corpo de Bonifácio foi encontrado por volta das 7h da manhã, por agentes que faziam a vistoria antes das visitas do dia. O padre se enforcou na madrugada, usando uma corda feita por lençol. 

Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social - Seds - o padre se encontrava só na cela, visto o tipo de crime que era acusado, e que tem o costume de ser punido pelos próprios presos e esperava por uma triagem no sistema prisional para ser encaminhado para outra penitenciária.

Publicidade
Publicidade

 

Bonifácio foi apreendido na sexta-feira pelo delegado de Três Corações, Pedro Paulo Marques, que comandou uma operação juntamente com policiais de Santa Catarina, na cidade de Barra Velha. O delegado fingiu ser alguém interessado em comprar uma casa de praia de uma irmã do padre para atraí-lo para um encontro. Quando o mesmo chegou no lugar, montando uma bicicleta, recebeu voz de prisão e foi cumprido o mandado de prisão preventiva pelo crime de abuso sexual contra dois meninos ocorridos em maio na cidade do Sul de Minas

Segundo o delegado, Bonifácio nem tentou fugir ao ser preso, e se mostrou frio e tranquilo o tempo todo, além disso, ele disse não ter cometido os crimes, mas que sofria de surto psicótico, e por isso, às vezes, não se lembrava do que acontecia.  

O nome do padre apareceu em uma lista no final do filme #Spotlight- segredos revelados, que venceu o Oscar de Melhor Filme de 2016 e se trata de um drama biográfico que revela casos de abuso sexual cometido contra crianças e adolescentes por sacerdotes da Igreja Católica e acobertados pela mesma. 

Crimes pelo qual era acusado

Os casos de abusos que teriam sido cometidos pelo padre são apurados pela delegada Ana Paula Gontijo, de Três Corações.

Publicidade

Segundo as investigações, o Padre se dirigiu ao Sul de Minas, após receber a liberdade do Manicômio Judiciário Jorge Vaz, na cidade de Barbacena. Ele recebeu uma carta de recomendação e recomeçou a prática do sacerdócio em uma Comunidade Evangelizadora Magnificat - CEM - que fica no Km 88 da MG-167, entre as cidades de Três Corações e Cambuquira.

O padre teria conquistado a confiança dos fiéis, pessoas simples e humildes, que sequer imaginavam o seu passado, e recomeçado na prática dos abusos. Ele teria abusado de dois meninos, de 9 e 13 anos, em momentos distintos, ao levá-los para uma pescaria e usado a desculpa de ter carrapatos para que os mesmos ficassem sem roupas e o abuso fosse cometido. Segundo o delegado Marques, os elementos da prática criminal eram tão certos, que o juiz Tarcísio Moreira de Souza, pediu a prisão preventiva do mesmo. 

Outros crimes cometidos por Buzzi

No ano de 1995, o padre ficou em prisão domiciliar durante quatro anos, após ser pego cometendo abuso contra dois meninos, de 10 e 15 anos, na cidade de Santa Bárbara, região central do Estado de Minas Gerais.

Publicidade

Em 2001, já na cidade de Mariana/MG, novamente ele foi pego cometendo o crime contra um menino de 9 anos, após uma missa no distrito de Mainart e pegou 20 anos de prisão, mas foi solto após cumprir uma parte da pena.  #Pedofilia