Segundo informações, os parentes e pessoas próximas aos bebês gêmeos estão muito revoltados com o crime covarde. Anderson Silva de Paulo, pai das crianças, espera que a Justiça aplique uma punição rigorosa para o homem suspeito de espancar seus filhos até a #Morte a base de socos e chutes. De acordo com a denúncia, Antônio Ribeiro Matos, de 27 anos, também é acusado de esfaquear a mãe dos gêmeos, Taís Araújo, de 23 anos. Pessoas próximas ao casal informaram que Antônio não conseguia aceitar o término do namoro com Taís e foi lhe cobrar satisfações. O caso teria ocorrido na última segunda-feira (8) na cidade de São Miguel do Araguaia, interior de Goiás.

Publicidade
Publicidade

O suspeito encontra-se foragido, enquanto a mãe das crianças foi internada no hospital da cidade, mas já recebeu alta e recupera-se dos ferimentos em casa. O pai dos irmãos gêmeos David Luiz e Lucas Felipe, bastante comovido, informou ao portal G1 que a família se preparava para organizar a festa de um ano no próximo final de semana. Os gêmeos fariam aniversário no dia 17 de agosto. Anderson atualmente mora em Goiânia, ele contou que costumava conversar quase que diariamente com os meninos por telefone e sempre que possível costumava visitar os filhos aos finais de semana.

 Invasão

De acordo com a versão da polícia, o acusado resolveu invadir a casa da ex namorada após arrombar a porta dos fundos durante a madrugada de domingo para segunda-feira. Depois de desferir vários golpes de faca em Taís, atingindo seu rosto, ele partiu para cima das crianças.

Publicidade

Um morador próximo ao local conta que começou a ouvir gritos pedindo ajuda. De acordo com o depoimento do homem que preferiu não se identificar, Taís gritava muito pedindo ajuda dizendo que um homem iria matar seus filhos.

Após abrir a porta de casa, o vizinho disse que viu uma pessoa suspeita pulando o muro da casa de Taís. De acordo com o delegado André Medeiros, responsável pelo caso, ele afirma que o acusado será indiciado por homicídio triplamente qualificado. Ainda de acordo com o delegado, ele conta que a vítima já havia recebido diversas ameaças provindas do suspeitos, mas, infelizmente, a vítima nunca registrou um boletim de ocorrência em relação as ameaças. #Crime #Casos de polícia