A Polícia Civil, em conjunto com a Militar, está desde o último domingo, dia 31 de julho, tentando capturar o pai que estuprou suas filhas gêmeas e que agora é um foragido da Justiça. O homem estava preso desde o dia primeiro de janeiro deste ano, após ser flagrado cometendo o #Crime. Há 3 anos ele vinha mantendo relações sexuais com suas filhas gêmeas, hoje com 14 anos.

Marcos da Silva Santos, 41 anos, conseguiu fugir com um outro preso do Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, aproveitando que os guardas estavam distraídos enquanto eles realizavam um serviço na parte externa da penitenciária. Eles só precisaram pular uma tela e  correr, não sendo mais vistos.

Publicidade
Publicidade

O outro detento estava preso por tráfico de drogas e também por ter cometido homicídio.

O estuprador foi denunciado por uma de suas filhas, que foi até a Polícia Civil e contou que ela e a irmã vinham sendo abusadas desde os 11 anos de idade e estavam sendo ameaçadas pelo pai de serem mortas, caso contassem a alguém. A garota contou que no início ele usava os dedos para estuprá-las, mas depois começou a ter penetração e foi assim durante estes últimos anos.

Quando foi preso, no dia 1º de janeiro deste ano, o pai confirmou para a delegada Waldiza Fernandes que estava estuprando as filhas gêmeas, mas disse não saber que "chupar os seios das filhas" era um crime, alegando inocência. De acordo com os exames médicos realizados pelo Departamento de Polícia Técnica, as duas gêmeas estão com os hímens rompidos e também machucados.

Publicidade

A Polícia Civil informou que o estuprador contou que abusava das filhas com o consentimento da mãe, só que a investigação mostrou que isso era mentira e que as três vinham sendo ameaçadas por ele.

A prova do abuso foi conseguida por uma das gêmeas que pegou um celular emprestado com a vizinha e enquanto o pai estuprava sua irmã, ela ficou filmando tudo. Quando ele sai para a rua, as gêmeas foram até a casa da vizinha e mostraram o vídeo e uma prima aconselhou a levarem imediatamente para a polícia ver.

A polícia segue tentando capturar o estuprador enquanto as gêmeas e a mãe temem que ele possa voltar e fazer algum mal a elas. #Violência #Casos de polícia