Quatorze anos depois de ajudar a matar os próprios pais a pauladas, Suzane von Richthofen continua quase tão bonita quanto foi presa. De acordo com a revista Veja em matéria especial deste fim de semana, a presa mais famosa do país quer formar uma família. Condenada a 39 anos de prisão, ela está na reclusão desde o dia 8 de novembro de 2002. Desde então, tudo em torno na vida da presidiária vira motivo de curiosidade para brasileiros. Após cumprir mais de um sexto da pena e ser considerada de excepcional bom comportamento, Suzane tem o direito de sair da cadeia e ficar na casa de amigos ou parentes. 

A última vez que ela fez isso foi no 'Dia dos Pais', quando teve autorização para deixar a Penitenciária Feminina de Tremembé.

Publicidade
Publicidade

O comportamento gentil da famosa presidiária não chega a ser uma unanimidade. Há quem relate que ela apenas usa armas psicológicas para se passar de boazinha e convencer os outros a fazer tudo o que ela quer. Psicólogos já avaliaram o perfil da moça como manipulador e egocentrista. Outras presas dizem que ela só teve um relacionamento com a famosa 'Sandrão' para se sentir a primeira-dama da cadeia. "Ela não gosta de mulher", disse uma das presas entrevistadas pela Veja. 

Suzane agora já esqueceu Sandrão. Ela irá se casar em abril do ano que vem com o marceneiro Rogério Olberg. Para isso, até terá mais uma saída da cadeia, a de Páscoa. A presa conheceu o atual noivo na cadeia. Ele visitava uma irmã presa, enquanto outra irmã, evangélica, fazia sermões nas celas. Diferente do noivo, a famosa não fala há dez anos com o irmão mais novo, Andreas.

Publicidade

Para deixar a cadeia em sua mais recente saidinha, ela pintou os cabelos de loiro. Nessa saída, ela ficou cinco dias fora com o companheiro, quando passeou pela rua como uma pessoa "normal". A agora já madura mulher comprou roupas e tomou sorvete.

A pena dela acaba apenas em abril de 2040. No entanto, já no ano que vem ela pode ter a concessão da liberdade, nem que seja no semi-aberto. Suzane agora quer ter filhos e pode até adotar. #Crime #Investigação Criminal