Nem todo mundo está satisfeito com a realização das Olimpíadas aqui no Brasil e isso tem ficado claro nos muitos lugares por onde a tocha olímpica tem passado e as pessoas fazendo de tudo para conseguir apagá-la, mas, em São Gonçalo, eles passaram do limite, pois tão logo o revezamento começou nesta terça-feira (02), um grupo de 50 pessoas estava realizando um protesto quando algumas bombas estouraram.

A polícia entrou em ação imediatamente e chegou a prender dois homens suspeitos. Houve um princípio de tumulto e a PM teve trabalho para manter a ordem no local e conter a confusão. Só que o clima estava tenso e não teve como a tocha olímpica partir da rua Doutor Alfredo Bakcer, o que obrigou a Força Nacional e ir para outro lugar.

Publicidade
Publicidade

No final, a tocha olímpica só conseguiu continuar com sua trajetória a mais de 1 quilômetro de distância de onde estava previsto e para não ter mais problemas, escolheram o 7º Batalhão da Polícia, evitando assim, qualquer tipo de protesto para impedir novamente o início do revezamento. Em Itaboraí também houve protestos e o clima tem ficado muito tenso, o que levará a um reforço extra do policiamento nos próximos lugares por onde o símbolo das Olimpíadas for passar.

A manifestação em São Gonçalo, região metropolitana do Rio de Janeiro, foi bem organizada, a não ser pelas bombas que explodiram e que poderiam ter feriado os manifestantes ou policiais que estavam no local. No mais, as pessoas compareceram para protestarem contra o gasto com os #Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro e levaram vários cartazes mostrando que mais de 40 bilhões foram destinados às Olimpíadas e mais de 138 bilhões foram em isenções fiscais.

Publicidade

Na quarta-feira, dia 3 de agosto, a tocha olímpica estará cruzando a baía de Guanabara e contará com 7 medalhistas brasileiros, que ajudaram o Brasil a se destacar também na "vela".

A tocha também vai circular dentro do Veículo Leve sobre Trilhos, pelo centro do Rio de Janeiro e depois segue para a Baixada Fluminense, passando por Nilópolis, Duque de Caxias, São João de Meriti, entre outros locais.

Novos protestos estão sendo aguardados e a organização do evento teme exageros, como o de hoje em que foram lançadas bombas. #Casos de polícia #Taça Olímpica