Na madrugada desse domingo (28) uma viatura caminhão do #Exército Brasileiro foi apreendido, pela Polícia Civil, com um carregamento de drogas. Dois militares foram presos, o cabo Higor Abdala e o cabo Maykon Coutinho. O ocorrido aconteceu em Campinas – SP, na rodovia Anhanguera.

A viatura transportava cerca de três toneladas de maconha. Ao serem abordados pela polícia os militares reagiram com tiros de pistola. O caminhão foi atingido na lataria, na janela e no pneu, mas ninguém ficou gravemente ferido. Segundo a polícia a carga de drogas seria para abastecer a região de campinas.

Pela manhã, a guarda municipal prendeu um terceiro suspeito de fazer parte da operação, em Cordeirópolis - SP.

Publicidade
Publicidade

Ele estava fardado e ferido. Foi encaminhado para o hospital e logo depois foi preso.  

A viatura fazia parte de um quartel em Campo Grande, o 20º Regimento de Cavalaria Blindado (20 RCB), que fica no Mato Grosso do Sul.

Em nota, o comando do Exército Brasileiro através do Comando Militar do Sudeste, afirma que os militares serão expulsos da corporação. Diz, ainda, que será aberto um Inquérito Policial Militar para apurar o #Crime.

Três meses de investigação

Quem estava à frente das investigações é o órgão da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc). Segundo o órgão foram aproximadamente três meses de investigação para chegar no momento da apreensão. Indícios apontava que um carregamento de drogas seria entregue em uma empresa desativada.

Assim, os policias encontraram o local, dois bandidos tentaram fugir em uma Fiorino, mas não conseguiram.

Publicidade

Foram cercados e presos. Segundo o delegado da Polícia Civil que investiga o caso, estes dois que foram presos faziam o trabalho de receber a maconha, além do trabalho de distribuição.

Juntamente com a carga de droga também foi apreendida uma pistola calibre 380. Na pistola não constava a numeração de identificação, que foi utilizada pelos militares. Além disso, havia uma van que era utilizada pelos criminosos.

Os investigadores afirmam que há, ainda, dois suspeitos foragidos.