Na manhã de ontem (18), um policial militar da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio, foi ferido por tiro em confronto com criminosos.

O momento em que ele é socorrido por um colega de farda foi filmado e postado na página do Facebook "Vila Cruzeiro - R.J."

Nas imagens, Alessandro Assumpção, de 27 anos, que foi baleado no braço, aparece sendo carregado no meio do fogo cruzado, na Rua 8. 

O vídeo mostra que o companheiro que o ajuda e também outros policiais estão tentando escapar dos disparos. Alessando é carregado no ombro por uns vinte passos até uma viatura que chega de marcha ré para resgatar os policiais.

Publicidade
Publicidade

 

Os ruídos do tiroteio e a correria dos policiais demonstram a tensão do momento. Depois de ser colocado na viatura, o  militar baleado foi levado para o Hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, ainda na Zona Norte. Seu estado é estável e ele não corre risco de morte. Nenhum outro policial foi ferido. 

Após o confronto, o policiamento foi ampliado na comunidade, que viveu ontem seu segundo dia de tiroteio. No dia anterior, os moradores capturaram cápsulas deflagradas e publicaram imagens numa rede social, reclamando da violência da parte do Rio que não é favorecido pelas Olimpíadas. 

“Infelizmente, nessa guerra toda, quem sofre as consequências é sempre os moradores trabalhadores de bem, e nossos bravos e Guerreiros policiais que Deus proteja a todos”, diz um internauta. 

“Lamentável, lamentável! Todo dia isso.

Publicidade

um injustiça hospitais sem atendimento tirando do nosso direitos para se amostrar em olimpíadas.........Deus nos guiando nessa guerra sem fim.... isso está pior que a síria.....triste isso. ..pois a família moradores são os que mais sofre....”, desabafa outro. 

“Muito triste o que estamos vivendo nessa comunidade, que Deus tenha misericórdia de nós!!”, escreveu uma outra moradora. 

As UPPs, por meio de sua assessoria de imprensa, negam que tenha havido tiroteios na Vila Cruzeiro envolvendo agentes. 

Assista abaixo como tudo aconteceu:

#Crime #Casos de polícia