A realização dos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade do Rio de Janeiro foi um tema que gerou muita polêmica nos últimos anos desde a votação que deu vitória para o Brasil. Por conta da crise econômica e política, muitas pessoas disseram que não queriam Olimpíadas, e sim Educação, Saúde e Serviços Públicos de qualidade. Luís Moreira foi uma dessas pessoas que ficou revoltada com a situação do país após a baixa na economia. Contudo, ele topou participar como voluntário da festa olímpica que acontece neste mês na Cidade Maravilhosa para trabalhar de graça. De acordo com ele, o desejo de protestar foi maior ao ver pelos bastidores como parte do dinheiro público foi usado para promover os Jogos.

Publicidade
Publicidade

Após reclamar muito, Luís decidiu abandonar as #Olimpíadas e disse que foi recriminado por protestar contra o governo do presidente Michel Temer (PMDB), que está atuando interinamente no lugar de Dilma Rousseff (PT). A presidente foi afastada para ser investigada por crime de responsabilidade, no mês de maio.

Em um post em seu Facebook, Luís diz que os Jogos Olímpicos são um passo a mais para o "fim da liberdade de expressão". No último sábado, dia 1º de agosto, ele foi retirado do Sambódromo, no Centro, por levar um cartaz com dizeres que iam contra Temer. Foi necessário que a Força Nacional de Segurança agisse, retirando-o do local. Tudo aconteceu durante uma prova de tiro com arco e flecha.

Mais protestos

Esta não foi a primeira tentativa de protestar contra as Olimpíadas e o governo Temer vinda diretamente de dentro da organização dos Jogos.

Publicidade

Outros manifestantes "infiltrados" dentre os voluntários tentaram mostrar sua opinião para o mundo, mas foram calados pela organização da Rio 2016.

O Comitê das Olimpíadas deste ano explicou que a Lei Olímpica diz que é preciso haver "arenas limpas" durante os Jogos, mas não esclareceu se isso é coibir protestos e ações que evidenciem a discordância do povo brasileiro com a sua realização.

A postagem de Luís Moreira, já conta com mais de 3 mil compartilhamentos no Facebook. O Comitê disse que estão proibidos cartazes e manifestações comerciais e religiosas. #Rio2016 #Protestos no Brasil